Nurse Jackie

Nas minhas férias decidi assistir Nurse Jackie, os cinco primeiros episódios estavam guardados há algum tempo, e fiquei satisfeitíssima com o que vi. Edie Falco, que já esteve na telinha com Sopranos, dá vida à enfermeira Jackie, em um enredo que mistura drama e comédia. Muitos apontam a produção como novo House, mas não gosto destas comparações que geram expectativas, muitas vezes, erradas. Apesar das semelhanças, como Nurse Jackie se passar em um hospital, a protagonista ter o vício de usar medicamentos prescritos, presença de sarcasmo e gênio forte, Jackie é diferente. A pitada de humor negro presente nos episódios é brilhante.


Jackie é hilária, apesar de imoral, na minha opinião. Ela vive duas vidas completamente diferentes: uma fora e outra dentro do hospital. A única que sabe tudo sobre a jornada dupla da enfermeira é sua amiga, Dra. O’ Hara, vivida pela atriz Eve Best. No horário de trabalho Jackie tem um caso com Edie, responsável pela farmácia do hospital, àquele que fornece os remédios para suas dores nas costas. E fora usa uma aliança na mão esquerda, é muito bem casada e mãe de duas lindas meninas.




Confesso que o motivo que me fez assistir a série foi a presença do papai Cullen, Peter Facinelli, que por sinal, faz um excelente trabalho aqui. Cada personagem do enredo tem seu lado cômico, Dr. Cooper ou Cop, como prefere ser chamado, tem um tique nervoso que o faz tocar em lugares íntimos das mulheres quando fica nervoso e, além disso, tem duas mães. A estagiária Zoey, chamada por alguns de Ângela, questiona sua decisão pela enfermagem ao presenciar certas cenas no hospital. Mo-Mo, o enfermeiro que me cativou logo de cara, é gay e realmente brilhante. O’ Hara está sempre vestida impecavelmente e fica histérica com crianças, principalmente aquelas que danificam suas meias de U$ 80.

Os episódios de Nurse Jackie não são centralizados em um caso, mas na vida da personagem, rodeada de vários casos. A primeira temporada foi um sucesso nos Estados Unidos e a segunda temporada já está garantida. Por aqui a série ainda é inédita, mas os episódios são encontrados facilmente na internet para baixar. Aqui você encontra uma sugestão.

Próxima temporada - Haaz Sleiman, o Mo-Mo, enfermeiro gay melhor amigo de Jackie, foi dispensado do elenco da série. O motivo alegado pelos produtores seria o fato de que a história vem se encaminhando de tal forma que o personagem teria se tornado obsoleto. Por outro lado, Julia Ormond e as veteranas Marion Ross, de "Happy Days", e Barbara Barrie, de "Barney Miller" e "Sundelly Susan", farão participações especiais na 2ª temporada. (via Revista TVSéries)

Comente com o Facebook: