Sendo Nikki

Sendo Nikki

Meg Cabot é uma máquina, escreve muito, com qualidade e seus textos têm uma fluidez incrível. Sendo Nikki é o segundo livro da série Cabeça de Vento, segundo livro da Meg que eu leio e que também li em dois dias. Ele é o motivo de eu ter defendido que não era justo julgar apenas o primeiro livro de uma série, já que a qualidade de Sendo Nikki é grande, principalmente se comparada à do primeiro livro.

Tudo bem, as maluquices surreais do primeiro livro ainda estão aqui. A chatice da repetição, que comentei na resenha do primeiro livro, também se faz presente. Mas aqui há a ação e o desenrolar de fatos que eu tanto ansiava no livro que abriu a série. O que com certeza me agradou. Não tem como falar sobre Sendo Nikki sem soltar spoilers de Cabeça de Vento, mas vou tentar ser o menos “spoilenta” possível.

Emerson Watts, a protagonista, nunca mais teve paz após o acidente sofrido na inauguração da Stark Megastore de seu bairro. Sua vida deu uma reviravolta impossível de se imaginar, com muitos prós e outros tantos contras. Agora ela tem que lidar com um irmão que não sabia da existência e que vem cobrar sobre o sumiço da mãe que nem mesmo é dela de verdade. Pura confusão. Tudo isso acrescido da rotina escolar, o trabalho árduo – que ela pensou que fosse moleza –, uma irmã – verdadeira – que quer ser popular e líder de torcida e um amor intenso e mal resolvido. Ai, cansei só de pensar. E por isso ocorrer na adolescência fica o triplo de vezes pior.

Com uma capacidade de neurose que vai ás alturas e que em certos momentos tem razão de ser, Em tem certeza de que tudo que ela faz é visto pela Stark, o que limita seu poder de ação. Mas ela não imaginava que iria ganhar aliados tão valiosos nessa luta.

Nem Cristopher, Gabriel ou Steven tinham a menor ideia do motivo de eu estar tão ansiosa para ver o celular de Justin. Mas o fato de eles estarem dispostos a limpar o chão com o corpo de Justin, caso eu dissesse que era preciso, me deixava realmente emocionada. Página 267

Os personagens são cativantes. Lulu está ainda melhor, queria uma Lulu para mim. Cristopher aparece um pouco menos, mas faz uma aparição digna, que despertou um sorriso daqueles em mim e ouso dizer que até um suspiro. Chega! Gabriel é fofo também e Steven, uau! Cara, esse livro é perfeito para piriguetear – literariamente, é claro.

E o fim, não sei como descrever. Foi totalmente inesperado, misturado com esperado. Com o desenrolar dá trama comecei a imaginar coisas que se concretizaram lá na frente, mas aquele final misturou muitas emoções, me deixou nervosa, irritada e com certeza mega ansiosa para o terceiro livro.

O livro é divertido, dramático, tem uma pitada de suspense e muito romance – principalmente por parte de Nikki, que vou te contar, tem fogo até no dedão do pé.

Para uma garota de 17 anos – e que supostamente estava saindo com o filho único de seu chefe – Nikki Howard tinha tido, definitivamente, muitas companhias masculinas. Página 12

Enfim, eu gostei da leitura, que me fez ter uma visão diferente sobre a trilogia. Agora é só esperar a oportunidade surgir para que eu leia a conclusão desta trama maluca.

Beijos!

Comente com o Facebook: