Passe Livre

passelivre_1 

Um filme no estilo de Se beber, não case, mas com direito a bem menos risadas. Assim é Passe Livre, protagonizado por Owen Wilson e Jason Sudeikis. Na produção, Rick e Fred vivem tarando mulheres na frente de suas esposas – achando que são sutis, é claro – e já estão penando há algum tempo para conseguir transar com elas. Uma noite, enquanto cerca de seis amigos homens jogão baralho na casa de Rick, sua esposa, Maggie escuta todas as baboseiras que eles falam através da babá eletrônica. Entre outros assuntos, eles discutem quanto pagariam para ter uma noite de amor com outra mulher.  Horrorizada, Maggie conta para a mulher de Fred, Grace, e para outra amiga, tudo que ouviu. A amiga sugere que as duas deem um passe livre aos maridos, uma semana de folga do casamento. No começo a ideia não é bem recebida pelas mulheres, mas diante de situações desagradáveis, Maggie resolve conceder a folga ao marido.

Hall Pass Rick não entende e nem quer aceitar a folga no início, mas Fred é só empolgação e tenta a todo custo conseguir um passe livre para ele também, até que consegue – para o frisson dos outros homens do grupo. Enquanto os maridos ficam na cidade, as mulheres vão para uma casa dos pais de Maggie.

A premissa até deveria render boas cenas, mas a quantidade de passagens exageradas e toscas faz com que o filme perca pontos. Como apontou Roberto Cunha do Adoro Cinema: “e pode até provocar alguma reflexão, mas só depois que passar o efeito do choque porque não dá para ser diferente diante de enxurrada de situações bizarras, algumas até engraçadas. Além de closes frontais penianos, coco "plantado" num belo campo de golfe ou espirrado na parede, será mais fácil para o espectador comum se divertir com a gafe cometida com os vizinhos metidos a besta ou na genial cena em que um amigo bon vivant mostra para eles como distinguir as mulheres dentro de uma boate”.

filme-passe-livre7 Enquanto os homens, que estavam tão empolgados com a possibilidade de trair suas mulheres, não se mostram em forma para a paquera, as mulheres, que tecnicamente também estão de folga do casamento, são assediadas e bastante paqueradas. Quando se lê a sinopse do filme, só se pensa nos homens, um pensamento bem machista, mas é verdade, ninguém pensa que as mulheres também têm o mesmo direito. E é aí que o filme surpreende. Trazendo os dois lados.

1318943153_passe-livre-1 Claro que o filme não é ruim, eu ri algumas vezes, mas não chega a ser aquele filme que você é capaz de rever várias vezes e nem mesmo aquele responsável por gargalhadas.  Isso também depende do seu tipo de humor, para uns ele pode ser extremamente apelativo e outros podem levar os exageros na brincadeira. Ele também traz um pensamento: será que é certo trair mesmo com permissão?

Curiosidades

- A atriz Amanda Bynes desistiu de participar do filme, alegando conflitos de agenda e foi substituída por Alexandra Daddario – que está em Parenthood, trabalhando no estúdio com Crosby e Adam - no papel de Paige, a babá dos filhos de Rick;
- A atendente da lanchonete Leigh, transformada em tentação do personagem Rick é a atriz australiana Nick Whelan e pode ser reconhecida pelos fãs dos seriados Scrubs e Neighbours.

Boa quarta, pessoal! Beijos.

Comente com o Facebook: