À Queima Roupa

À Queima RoupaFazia um tempo que não visitava minha locadora, estava mais focada em séries ou nos filmes que eu tinha em casa. Então, eu e o marido decidimos alugar filmes para o fim de semana chuvoso. Queríamos uma ação e logo nos foi recomendado À Queima Roupa, acatamos e levamos.

Chegando em casa nós vimos que o filme era francês, confesso que tive um pouco de preconceito, porque não assisti muitas vezes – praticamente nunca - os filmes produzidos por lá. A notícia boa é que não me decepcionei e adorei ficar ouvindo os atores falando naquela língua tão linda! Adoro francês!

Voltando ao filme, À Bout Portant – nome original – é uma mistura de ação e suspense. E já começa com acidente, perseguição, uma loucura! No hospital, Sam é um enfermeiro tranquilo, trabalhador. No que era para ser mais uma noite normal,  Sam vê um cara estranho sair da ala de um paciente que chegou após ser atropelado por uma moto. Como não consegue alcançar o estranho, ele vê que os aparelhos do paciente foram tirados e o salva.

Sam está em um momento muito feliz em sua vida, sua esposa, Nadia, espera o primeiro filho do casal e ele está orgulhoso por ter salvo a vida do paciente misterioso. Mas como felicidade de pobre dura pouco como diz aquele velho e sábio dito popular, Nadia é sequestrada sob o olhar impotente de Sam dentro de sua própria casa.

A queima roupa Quando ele acorda, recebe um telefonema no mínimo aterrorizante: ele tinha três horas para salvar a vida de sua esposa. Para isso, precisava tirar aquele mesmo paciente misterioso do hospital em que trabalha. Porém, facilidade é algo que não há na vida do pobre homem, ele tira Sartet do hospital, mas quando vai libertar sua esposa, um grupo de bandidos passa a perseguí-los – ele e Sartet. Agora, além de estar sem sua esposa e ser perseguido por bandidos, Sam é um homem sob vigilância policial, pois as câmeras do hospital revelam que foi ele quem libertou Sartet, que não é a pessoa com a ficha mais limpa do mundo.

c3a0-bout-portant-5

Claro que a receita não é inovadora, inclusive tem muitos traços dos filmes de ação de Hollywood, mas mesmo assim só o fato de prender a atenção do espectador por cerca de 80 minutos já vale a recomendação. As cenas com a câmera agitada e nervosa, com as sequências de perseguição e todo o ritmo intenso agregam pontos ao filme. Assim como a determinação de Sam de salvar sua esposa, que chega a ser maior do que a de se provar inocente até.

Não posso esquecer de comentar sobre o vilão, que é  frio, impassivo e calculista, daqueles que não hesitam ao ordenar a morte de inocentes.  O filme tem seus tropeços, mas seus acertos são maiores. Corrupção, sangue, perseguição, vingança, tudo está misturado no enredo. É de tirar o fôlego.

Beijos, ótima quarta!

Comente com o Facebook: