Cidade dos Ossos

cidade-dos-ossos2.indd Há pouco mais de dois anos Cidade dos Ossos, de Cassandra Clare, estava na minha estante. Um grande pecado, agora eu sei. Ele sempre entrava nas minhas listas de próximas leituras, mas acabava ficando para depois, até que um dia ele brilhou para mim – como diz a Luciana -, literalmente. Então decidi que seria a hora de finalmente conhecer Jace e de me arrepender por não ter feito isso antes.

Aparentemente, Cidade dos Ossos é apenas mais um livro YA, com protagonista adolescente, triângulos amorosos e etc. Mas profundamente, o livro é muito mais que isso. Ele tem um Q a mais e não estou me referindo a esta capa divina. Clary tem 16 anos, é baixinha, ruiva, mora com a mãe mega protetora e tem um melhor amigo nerd, Simon. Ela leva uma vida pacata e normal até uma noite em que frequenta a Pandemônio, uma das boates mais badaladas de NY. Simon está com ela e só está lá por ela, mas Clary tem sua atenção chamada para um rapaz de cabelos azuis, que logo é fisgado por uma garota estonteante. Os dois vão para um local reservado. Tudo muito normal, não fosse os outros dois rapazes armados com facas que entram no local atrás deles. Clary fica apavorada, diz para Simon chamar o segurança e, claro, vai atrás do grupo. Lá ela descobre que o dono dos cabelos azuis é um demônio e vê com seus próprios olhos, mesmo sem querer acreditar, que assim que é morto, o rapaz some! Ela deve estar sonhando.

Tudo piora quando os três que mataram o “demônio” ficam intrigados por ela conseguir vê-los. Principalmente o mais gatinho deles, Jace. O grupo é formado por Caçadores de Sombras, responsáveis por manter o mundo em ordem, sem demônios fanfarrões, vampiros passados ou lobisomens que chamam muita atenção. Existem ainda as fadas e os feiticeiros, que também precisam ser monitorados. Mas esse mundo à parte não pode ser visto pelos mundanos, então como Clary os vê?

Ele não tinha a aparência delicada de Alec, o rosto dele era mais interessante. À luz do dia, ele tinha os olhos dourados e eles estavam… olhando para ela. Página 89

Passado um tempo, Clary sai com Simon e vê Jace. Nessa noite toda a vida de Clary muda. Sua mãe some, seu tio-emprestado Luke não quer mais saber dela e ela quase foi morta por um ser, no mínimo, esquisito. O que está acontecendo?

Para descobrir, Clary conta com a ajuda de Jace e de Simon, que sempre está ao seu lado, sempre faz de tudo para ajudá-la – mesmo quando baba por Isabelle. Jace leva Clary para o Instituto de NY, onde vive com um guardião, com Isabelle e Alec, os outros dois que estavam com ele naquela noite na boate. Assim começa a busca da garota por respostas sobre um passado que ela não recorda e sobre o presente que é uma confusão só.

O menino nunca mais chorou e nunca se esqueceu do que aprendeu: que amar é destruir, e que ser amado é ser destruído. Página 201

Jace é um fofo. Tem o coração machucado pelo passado e forte para enfrentar suas batalhas diárias, mas ainda assim é um fofo. Todo se achão, engraçado, romântico e impossível de não se apaixonar. Clary é uma protagonista forte, determinada a encontrar respostas, a saber quem realmente ela é e a manter seguros os que ama. Adorei o fato de que quando o livro se encaminhava para o fim óbvio houve uma reviravolta na história que fez com que eu tivesse ainda mais certeza de com quantas estrelinhas avaliar o livro – dei cinco.

Ela trazia o caderno de desenho, os cabelos brilhantes escapando do elástico. Ele se apoiou na porta, ignorando o jorro de adrenalina produzido ao vê-la. Página 311

A obra de Cassandra Clare é uma aventura sem fim, uma viagem aos lugares mais estranhos e ainda assim interessantes, com seres que também podem ser definidos assim. Tudo muito bem bolado, com situações que vão se entrelaçando e revelando aos poucos o grande mistério do passado de Clary e de sua mãe. Só tenho elogios a fazer sobre o livro. Seus personagens são cativantes, a escrita é ótima e a criatividade presente na trama é imensa. Não vejo a hora de comprar e ler os outros livros da série Instrumentos Mortais – Cidade das Cinzas, Cidade de Vidro e Cidade dos Anjos Caídos.

Adaptação para as telonas – Cidade dos Ossos vai virar filme, acho que muita gente já sabe disso. Especula-se que a estreia ocorra no segundo semestre de 2013, uma das últimas notícias que saíram sobre ele foi que as gravações começam em agosto. Lilly Collins interpretará Clary e Jace será vivido nas telas por Jamie Campbell Bower. O site Ju Lund também publicou uma matéria sobre o novo diretor do filme, para conferir clique aqui.

Beijos e uma ótima quinta-feira.

Comente com o Facebook: