Destino

destino

Demorei para ler Destino, da Ally Condie, ele foi bem badalado na época do lançamento, todo mundo comentava e obviamente eu desejei muito ler. Só que a oportunidade chegou apenas agora. Uma coisa que eu posso dizer já de cara: eu não queria viver lá.

O ambiente criado pela autora é novo para mim, uma Sociedade que toma todas as decisões da vida da população, até mesmo com quem você fará um par. Pelo menos você tem a escolha de ser um Solteiro ou fazer parte de um Par. Mas o poder de decisão para por aí. Tem horário para acordar, para dormir, para lazer, para comer, aliás, é a Sociedade que envia para as casas a comida de cada um e não se pode dividir, principalmente quando se está velho.

Claro que olhando pelo lado positivo toda a população têm boa saúde, doenças como o câncer foram erradicadas e as pessoas vivem até os 80 anos. Mas as coisas boas também não passam muito disso. Cassia é a protagonista do livro. Ela crê piamente em tudo que a Sociedade faz e também não tem motivos para questionar alguma coisa. No dia do seu Banquete do Par, quando se conhece quem será seu companheiro para toda vida, ela e todos são surpreendidos. O rosto de seu Par demora a aparecer na tela e ela quase acha que não terá ninguém, quando algo mais supreendente ainda acontece: o Par dela é Xander, seu melhor amigo. Sabem, isso ocorre muito raramente, mesmo. Você conhecer a pessoa que é seu Par é algo bem raro. Ela fica feliz, não teria ninguém melhor. Xander também é um poço de felicidade. Eles saem do banquete com um cartão que contém todas as informações de cada um, mas os dois nem precisam disso, se conhecem muito bem.

Mesmo assim, no dia seguinte, Cassia resolve ver o carão de Xander e parece que as surpresas não param de acontecer, o rosto que aparece não é o do amigo, mas de outra pessoa conhecida, ali do bairro mesmo. Ky. O erro dura segundos e logo o rosto de Xander aparece onde deveria estar desde o começo. Só que aquela fotinho despertou uma curiosidade imensa em Cassia, como não despertaria? Mais tarde uma Funcionária da Sociedade encontra Cassia para uma conversa e para esclarecer as coisas, foi um erro que eles não sabem de onde veio e que vai ser averiguado. Nada mudou, Xander é o Par dela e ela não precisa se preocupar. Ela conta que conhecia o rosto que apareceu e a mulher diz que Ky nunca poderia ser o par dela, já que ele é uma Aberração.  Algo que o pai dele fez o deixou nessa categoria, alguém que nunca terá um Par.

A partir daí, é claro que Cassia passa a notar mais Ky e a querer saber mais sobre a vida dele. Ela sabe que ele é adotado, mora com os tios, e que conseguiu se adaptar bem ao lugar. Mas ela precisa de mais. E aos poucos eles vão se aproximando. Um guarda segredos do outro e a Sociedade está de olho. O avô de Cassia, que completou 80 anos recentemente e morreu, deixou uma pulga atrás da orelha da neta. Poemas que há muito deviam ter sido destruídos, que falam de luta, de não se acomodar, de não entrar docemente. Tem mais isso, eles têm 100 músicas, poemas, obras de arte, livros escolhidos a dedo pela Sociedade. O resto foi e ainda é destruído. Aquele poema, o erro que fez Ky aparecer na tela e o sentimento que cresce entre eles transformam Cassia em uma garota que questiona, que quebra regras e que não quer mais ser comandada pela Sociedade, que quer fazer suas próprias escolhas. Se isso vai dar certo ou não, só os próximos livros vão dizer.

Bom, minha experiência com ele foi boa, a leitura foi rápida, leve, mas também foi morna, sem muito sal, sabem? Principalmente do início até a metade. Ele não é O livro, mas é um livro bom de se ler. Eu gostei. E ele é a introdução para os outros dois, então dá para entender que o início meio lento seja a introdução necessária para o que virá pela frente.  Li que algumas pessoas largaram a leitura, eu não senti essa vontade, não. Mas tudo vai de pessoa para pessoa, né?

Achei que foi bem legal a intensidade do sentimento entre Ky e Cassia, afinal eles estavam fazendo algo proibido, até então sem precedentes na Sociedade e só por isso já é intenso, eles se conectaram, pareciam realmente ser feitos um para o outro. E enquanto isso, Xander perdia o brilho, tanto para Cassia quanto para mim. Não que ele não fosse uma ótima pessoa, ele é. Incrível, na verdade. Mas não parecia mais ser o certo para ela. E Ky também é tão sofrido, passou por tantas coisas ruins na vida, merecia algo bom. Mas merecer nem sempre é ter, né?

Agora quero ler a continuação e desejo que seja tão enérgica quanto foi o fim do livro. Alguém já leu? As capas têm todo um sentido depois que se lê. Fazem referência aos comprimidos que todas as pessoas sempre andam, depois de uma certa idade é que se anda com os três, um verde, um azul e um vermelho.

Travessia 1

reached 1

Fico por aqui, beijos e uma quinta-feira maravilhosa!!

Comente com o Facebook: