Big Brother Literário

Recebi a TAG da Camila Araújo, do blog Colecionadores de Histórias faz um tempinho já, mas ficava quebrando a cabeça para imaginar quem eu colocaria neste programa. A ideia é bem divertida e simples, basta escolher 12 personagens de livros, que serão os participantes, e um décimo terceiro para ser o host (o que o Bial faz).

Depois de muito bater cuca, resolvi colocar na competição apenas os personagens lidos neste ano, seis homens e seis mulheres. Apesar de hoje não assistir e nem saber o que rola na casa, que dizem ser a mais vigiada do Brasil, já tive meus tempos de acompanhar o programa global e sei que alguns estereótipos sempre marcam presença. As mulheres, em sua maioria, são gostosonas, para conseguir a audiência dos homens que gostam de vê-las seminuas. Uma ou outra são bem soltinhas, tem alguma romântica e por aí vai. Já no lado dos homens, a busca pelo corpão também aparece, já que nós também merecemos ver um corpo bonito na TV. Tem os burrinhos, os narcisistas, os estrategistas, além de ter um gay ou dois. É sempre assim, deve ser a receita que dá certo e eles não ousam mudar.

Primeiro, apresento vocês às mulheres:

Ridley Duchannes (Dezesseis Luas) – Uma das ovelhas negras da família, Ridley é fria, uma jogadora nata, que para ganhar não hesitaria em trapacear. Ela também é toda conquistadora, tem um poder de “persuasão”.

Sydney Waverley (Encantos do Jardim) – Ao contrário da irmã, Sydney é experiente com as coisas da vida, ela se arrisca mais e, consequentemente, também quebra mais a cara. Corajosa, estaria disposta a um jogo limpo.

Nilima (Série dos Tigres) – Da Índia, mega inteligente, linda e com todo o poder de vencer as demais concorrentes.

Jennifer Stirling (A última carta de amor) – Uma senhora queridíssima e cheia de conhecimento, passou por muitas situações difíceis na vida, mas nunca perdeu a esperança, uma qualidade que pode ajudá-la e muito no jogo.

Nicole Harding (Por um momento apenas) – Ela é linda, famosa e muito talentosa. Seria alvo fácil de cíumes e inveja na casa, principalmente das primeira e última citadas.

Randi (A Viagem do Tigre) – Loira, siliconada, rica, superficial, que se preocupa única e exclusivamente com seu corpo e em arrumar um marido rico. Não poderia faltar alguém assim.

Agora a parte masculina.

Philip Blake – Governador (The Walking Dead – A Ascensão do Governador) – Rá, quer maior estrategista que esse? Eu teria muito medo de entrar em uma disputa com ele.

Max (Dizem por aí…) – Um cara super alto astral, cheio de sarcasmo e capaz de fazer piadas até com ele mesmo. Seria a alegria da casa e, para não fugir da receita, é gay.

Kishan (Série dos Tigres) – Kishan é engraçado, sedutor, tem um corpo de babar e uma beleza de fazer parar o trânsito. Além de todos os atributos físicos, é inteligente e sagaz. Um adversário a altura.

Gabe (Não posso me apaixonar) – Um irmão Sullivan não podia ficar de fora, né? Então nada melhor do que colocar o irmão bombeiro, que junta muitas fantasias femininas. Megan que se cuide.

Link (Dezesseis Luas) – Nerd, que se acha muito esperto e pegador. Uma amor de menino e que pode ser o rolinho de Ridley.

Rory (A última carta de amor) – Um cara gente boa, tranquilo e certo do que quer. Vive bem, aproveita as oportunidades e é bem feliz. Daqueles que animam o local e fazem grandes amizades.

Host:

Tilly (Dizem por aí…) – Com a ligação que ela tem com o Max, precisou assinar um termo de compromisso com o jogo e se mostrou incorruptível. Então, cheia de bom humor, ela levaria muito bem a competição, com a ajuda de toda sua equipe de produção.

Quem quiser responder à TAG fique a vontade. Por hoje é só, beijos e uma excelente quinta-feira.

Comente com o Facebook: