Sobre robôs e monstros

Salve Galera!
A partir de hoje, a convite da minha amiga Kellen, passarei a colaborar com um dos blogs mais lidos da internet, o Tudo o que me Interessa! Caberá a mim trazer um pouco do mundo do entretenimento que interessa a algumas “crianças grandes”, nesse caso, animações e séries japonesas.
Nessa trajetória, abordarei dois ícones da terra do sol nascente que alcançam muito sucesso no mundo todo, os animês e os Tokusatsus, tentando desconstruir alguns mitos, explicar origens e mostrar tudo que for relacionado, e interessante, dentro desse mundinho.
Espero contar com o apoio e companhia de todos e corresponder à altura a confiança que recebo! Nessa nossa primeira coluna tentarei dar definições básicas sobre os dois temas:

  • Animê

Gold Saints 

Nome derivado da palavra Animation, que designa justamente os “desenhos”. Os animês são símbolo da cultura pop japonesa que mais se difunde pelo mundo. Entretanto, essa nomenclatura foi, erroneamente, associada a desenhos japoneses unicamente. Digo isso porque no Japão Bob Esponja também é um título de animê. Diante disso, dizer que animê é um gênero de animação, e apenas japonês, é um erro, pois animê é apenas um meio que possui, este sim, vários gêneros.

Pode parecer estranho, e digo isso pelas diferenças de enredos, mas os primeiros materiais a influenciar o “nascimento” dos animês, foram as produções da Disney das décadas de 30 e 40 que chegavam ao Japão, por meio de contrabandistas, no pós-Guerra.

Esses materiais acabaram por influenciar jovens artistas como Osamu Tezuka, Shotaro Ishinomori e Leiji Matsumoto, que vieram a se tornar grandes mangakás (explicarei esse termo mais adiante).

Por conseguinte desse turbilhão de materiais, estreou, em 22 de outubro de 1958, o primeiro animê: Hyakujaden (A Lenda da Serpente Branca). A primeira produção do estilo e que marcou a estreia, também, da poderosa Toei Animation. De lá para cá, os animês já foram chamados de demoníacos, violentos, ultrapassados e tudo que se possa imaginar. Mas a verdade é que continuam cada vez mais vivos e fortes, desbravando fronteiras, alcançando espectadores e cativando fãs pelo mundo todo.

  • Tokusatsu

Monstros do toku 2

Com certeza, em um primeiro momento, muitos leitores não saberão o significado dessa palavra, mas facilmente isso pode ser resolvido. Alguém aí assistiu, ouviu falar ou leu sobre o Fantástico Jaspion?

A nomenclatura Tokusatsu é a contração da expressão tokushu satsuei que, ao pé da letra, significa filme de efeitos especiais. Ou seja, em sua concepção, tokusatsu seria todo e qualquer filme que se utilizasse de efeitos especiais.

Mais uma vez, o pós-guerra se faz presente na influência do entretenimento japonês. Influenciados pelas produções americanas, extremamente nacionalistas, como Super Homem e Capitão América, produtores de cinema do Japão, resolveram criar filmes de efeitos especiais. Entretanto, o primeiro grande sucesso do gênero não exaltava um herói, mas sim um monstro! Sim, o primeiro baluarte do tokusatsu foi o grande Godzila! De nome original Gojira, oriundo da contração de Gorilla e Kujira (baleia), este grande monstro não nasceu para ser herói e nem mesmo para criar uma franquia de sucesso no cinema, mas para lembrar e alertar as novas gerações japonesas dos perigos da tecnologia nuclear.

Para tanto, em dezembro de 1954, o produtor Tomoyuki Tanaka, daToho Films, colocou o projeto nas mãos do grande diretor Inoshiro Honda que, por sua vez, contou com a ajuda do mago dos efeitos especiais Eiji Tsuburaya, que anos mais tarde criaria o maior ícone dos tokusatsus, Ultraman.

O filme mostrava um dinossauro que fora despertado por testes nucleares e, por isso, sofrera mutações e acabou jogando toda sua raiva sobre a cidade. A ideia original consistia em fazer apenas esse filme e que as pessoas refletissem sobre o perigo da tecnologia nuclear que acabara com Hiroshima e Nagasaki poucos anos antes.
Porém,  o “monstrão” fez um enorme sucesso com os espectadores, e o que era para ser um alerta, virou um sucesso estrondoso que rendeu uma franquia enorme de filmes, levou o lagartão aos EUA, onde o filme fora dilacerado para ter inseridas cenas com um ator americano como “protagonista” e o filme acabou trocando de nome, de Gojira virou Godzilla, e a mudança acabou ficando permanente.

O primeiro super herói de verdade a surgir foi na sequência de curtas para cinema intitulada Super Giants, em 1957. Um herói fortemente influenciado pelo Super Homem, mas que de gigante não tinha nada(rsrs). No ano seguinte, 1958, a primeira série para TV fora criada Gekko Kamen, um herói mascarado que combatia o crime e, que novamente, colocava a Toei como pioneira no ramo do entretenimento infantil, ao menos até o momento...

Bem pessoal, espero que tenha conseguido dar uma introdução bem sucinta ao assunto. Não percam as próximas edições da nossa coluna sobre o excitante mundo do entretenimento oriental. Até a próxima!

GREGok

Comente com o Facebook: