Filmes para “eu” não rever #1

Sábado recebi uns amigos em casa e no meio da conversa com uma amiga chegamos ao assunto filmes. Os lindos, que nos fizeram chorar e outros que de tanto nos fazer chorar não queremos ver mais, só para evitar ficarmos secas! Podem ficar tranquilos, não vou listar os filmes em que chorei por aqui, até porque eu teria que virar a noite digitando, né? Mega chorona que sou. Mas vou citar pelo menos dois filmes que eu me recuso a rever devido ao alto nível de lágrimas.

sempre

Produções que envolvem animais são legais, até gosto de assistir, algumas são bem engraçadas e divertidas, mas outras são tão tristes que não posso nem cogitar assistir. Ver bichinho sofrendo acaba comigo. Um dos filmes que jamais, mas jamais mesmo, voltarei a assistir é Sempre ao seu lado. Gente do céu, eu quase inundei minha casa assistindo a história de Hachi e saber que o filme foi baseado em uma história real só me deixou mais triste ainda. Sofri duas vezes.

Sempre_a_seu_lado_Wallpaper Meus olhos encheram de lágrimas só de olhar a foto

Desde o acontecimento chave do filme eu simplesmente não conseguia parar de chorar, não lembro os minutos, mas é antes da metade do filme, então eu chorei muito, muito, muito. No fim, meu rosto estava do tamanho de um balão, vermelho e os olhos mega inchados. Um dia eu estava na minha sogra, se não me engano foi na tarde do meu casamento, e o filme estava passando na TV aberta, troquei de canal na hora ou desliguei a TV porque não aguentaria nem olhar para o focinho do cão sabendo de sua trajetória futura. Claro que a história em si é linda, fala de fidelidade, amor verdadeiro, mas é triste demais para mim. Então, Sempre ao seu lado está banido de minhas horas de lazer e entretenimento em frente a TV.

marley26eu

O segundo filme eu até posso rever, mas só até certo ponto: Marley & Eu. Também envolve um cão extremamente fofo e um acontecimento extremamente triste. Nunca esqueço do meu maior erro em relação a este filme, o fato de o ter assistido no cinema. Estava toda boba, feliz da vida, mas chegamos meio em cima da hora e não consegui tirar a foto com o Marley gigante do cartaz para colocar a legenda “Marley & Eu”. Super criativo, mas nem dei bola, combinei com minha amiga de fazermos a foto depois do filme. Até parece que eu consegui.

marley (1)

Ri muito com o filme, porque Marley é uma criatura incrível e sapeca, característica de labradores. Ele colocou seus donos em cada situação e que foram retratadas tão bem nas telonas que minha barriga doía de tanto rir. Estava tudo certo até o filme se encaminhar para a parte final e eu recordar do que havia lido no livro de John Grogan. Meu primeiro pensamento foi: não devia ter vindo ao cinema. Mesmo assim pensei que fosse ser forte, até parece - parte 2. Chorei e chorei. Quando conseguia parar, escutava as pessoas fungando em minha volta e recomeçava a chorar. Resultado: rosto vermelho, inchado, que chamou atenção de todo mundo na saída do cinema e ainda fiquei sem minha foto com o Marley fofo. Quando o filme passa na TV eu até assisto, mas só até certo ponto, porque né? Não quero dar bafão de novo.

marley Quero apertar todos e levar para casa

Quem tem animal de estimação em casa sofre muito mais com esses filmes, porque inevitavelmente você lembra que eles não vivem para sempre, o que é uma coisa tão cruel. Deveriam viver o mesmo tanto que a gente, sempre com saúde e energia. Infelizmente não é assim. E pensar nisso tendo três animais – dois moram com meus sogros, inclusive um labrador –, não é nada legal. Fim do momento deprê. O negócio é aproveitar todo momento possível, porque esses ”serezinhos” são a alegria de uma casa, de uma vida. Nada melhor do que chegar em casa e ver aquele rostinho feliz porque você chegou ou porque está com um pacote de pão nas mãos – que ele tem certeza que vai ganhar.

Seguem os trailers dos filmes citados:

 

E vocês, têm algum filme que não conseguem rever por ser tão emocionante?

Beijos e uma excelente quarta-feira.

Comente com o Facebook: