Simplesmente Ana

ana 001

Fiquei bem empolgada com a última caixona da Novo Conceito que chegou para mim, muitos títulos brilharam e já li dois dos mais de dez livros que chegaram. Um deles foi o nacional Simplesmente Ana, da autora mineira Marina Carvalho. O livro começa encantando pela capa, que é linda, linda, linda – confesso que o pedi mais por ela do que por outra coisa. E a história é super gostosinha de acompanhar. Não é nenhuma fórmula nova e tem os seus clichês, mas também consegue ser original, ainda mais quando se trata de uma personagem brasileira.

Ana é uma garota normal, a não ser pelo fato de não saber quem é seu pai, só que ele abandonou sua mãe quando soube da gravidez. Mas ela não se encana com isso, já deixou no passado. Com 20 anos, ela só pensava em terminar sua faculdade de Direito e consolidar uma carreira. Claro que ela também tinha suas paqueras, aliás, um paquera, Arthur, com quem começara um rolo recentemente. Sua melhor amiga, Estela, sempre presente, dava a maior força para Ana em qualquer situação. Além disso ela também tinha seus avós e uma mãe maravilhosa.

O que ela não esperava nesta altura do campeonato era receber um recado pelo Facebook de um cara dizendo: “Desculpe, mas acho que sou seu pai”. Como assim? Como a curiosidade foi grande, ela aceitou encontrar o homem que se dizia seu pai e, para seu espanto maior, ele era o Rei de um pequeno país europeu, a Krósvia. Em sua versão, Andrej Markov, disse que não sabia da gravidez de sua mãe, que foi ela quem sumiu e não ele quem fugiu. Ana ficou confusa, afinal, a mãe jamais mentiria para ela, não é? Bem, ela mentiu. E quando viu Andrej com Ana ficou branca como cera, teve que expor seus sentimentos e explicar seus motivos para sumir da vida de Andrej.

Com tudo explicado, Andrej afirmou querer levar Ana para Krósvia, para conhecer seu país e assumir o papel de herdeira, já que ele não teve filhos com sua já falecida esposa. Claro que ela não precisaria ficar lá para sempre, seriam apenas seis meses, mas isso tudo estava deixando Ana tonta. Ela era uma princesa!! Depois de muitos conselhos e conversas, ela decidiu partir com o pai. Ah, esqueci de comentar que quando eles se conheceram ficou claro que eram pai e filha mesmo, já que eram super parecidos.

Na Krósvia, Ana se deparou com uma realidade completamente diferente da que vivia. Ela morava em um castelo, tinha muitos empregados – apesar de viver na cozinha com eles – e ainda um cartão de crédito ilimitado. E tinha também Alex, o enteado de seu pai, a quem ele tratava como um filho. Um cara carrancudo que não fazia nada a não ser desconfiar de sua ida ao país, achava que ela era uma golpista. Com o tempo Ana ganhou todo mundo, ela era simples, educada e sabia até cozinhar. Não tinha pitis e nem dava bola para tanto dinheiro, apesar de ter gostado de comprar coisas de marcas famosérrimas. Nesse meio tempo, Alex passou a ser seu  guia no país, mostrando cada canto incrível, eles saíam livres praticamente todos os dias, isso enquanto ela ainda estava no anonimato. Obviamente que a imagem que Alex tinha dela foi mudando com essa convivência, o mesmo ocorreu em relação a ela, mesmo que não admitisse.

Depois de sua apresentação como princesa e herdeira do trono da Krósvia, Ana virou uma celebridade. Paparazzi a seguiam, emissoras de TV queriam entrevistas e por onde passava era reconhecida. Andar sem seguranças era algo que mesmo que discutisse com o pai, não poderia fazer. Ao mesmo tempo que se habituava a sua nova realidade, Ana começou a perceber seu sentimento por Alex e até via algo parecido vindo dele nos olhares trocados. Mas havia um porém, Alex tinha namorada. Laika – Nome de Cachorro – era um porre, daquelas patricinhas que têm o rei na barriga, mas também era esperta, já tinha notado os olhares dos “quase irmãos” e não queria perder seu namorado para aquela brasileira. Haja coração, viu? Ana agora tem que lidar com o fato de ser princesa, de ter todos seus passos acompanhados e de sentir atração/paixão por um cara comprometido que era praticamente seu irmão, tudo isso à quilômetros e quilômetros de casa.

Quase que conto o livro todo. Como já comentei aqui anteriormente, eu gosto de ler para me divertir, me transportar para outro mundo e me encantar, suspirar. Marina conseguiu fazer com que eu sentisse tudo isso com sua história, que tem certa semelhança com O Diário da Princesa, até citado no livro. Ana já é adulta e como todos nós, comete erros, se arrepende, dá muita mancada. Ao mesmo tempo em que se entrega a um sentimento que pensava não poder existir naquele momento e lugar. Ela pensa muito nas coisas, mas também age impulsivamente, além de ser bastante teimosa. O que me fez querer dar uns sacodidões nela. Ainda por cima, no fim da história, dá uma trollada geral na galera. Não digo que amei 100% Ana, porque ela soube me irritar com algumas atitudes, mas no geral, ela é uma protagonista muito legal, que até toma um belo porre para esquecer da dor. Eu ri!

O livro cita atores de séries, como Jared Padalecki, de Supernatural, e personagens de filmes, como Charles, de Cartas para Julieta. Tem ainda Jota Quest e como comentei, O Diário da Princesa, de Meg Cabot. Foi uma leitura para lá de gostosa e recomendada para quem gosta de um romance leve. Ganhou quatro estrelinhas de mim. Aprovado!

Cliques de Simplesmente Ana

 DSC06721

 DSC06726

DSC06722

 DSC06723

 DSC06725 Beijos e uma ótima terça-feira!!!

Comente com o Facebook: