Sobre Robôs e Monstros #6

Salve galera!

Finalmente consegui me organizar novamente e voltar a dar minha humilde contribuição ao blog mais lido da internet, o Tudo Que Me Interessa! Primeiramente gostaria de pedir desculpas às pessoas que acompanharam minhas colunas anteriores e, certamente, devem estar querendo me puxar a orelha rsrs. Contudo essa paralização foi necessária devido a problemas de ordem pessoal que ainda me atrapalham, mas que já diminuíram bastante e, por isso, consegui voltar a escrever.

Também gostaria de pedir licença para mudar um pouco, e de maneira breve, o foco da nossa coluna. Hoje gostaria de abordar outro assunto, obviamente relacionado às séries japonesas, e não uma série especificamente. Bom, creio que seja hora de parar de enrolação e explicações e irmos direto ao ponto.

A Figura do Herói!

Alto, forte, imbatível, infalível. Normalmente esses são alguns dos adjetivos que veem à mente da maioria das pessoas quando pensam em alguém que possa ser classificado como herói. Não posso dizer que seja totalmente errado, até porque a palavra herói está associada a grandes feitos, atos de bravura incríveis que, acredita-se, não ser compatível com pessoas que não possam ser descritas com tais adjetivos.

Entretanto, para quem está acostumado à concepção de herói das séries japonesas, sabe que nem sempre é assim. Os fãs das séries orientais estão acostumados com personagens franzinos, falíveis, muitas vezes apanhando muito e até mesmo morrendo.

Não, as séries não tentam exaltar o estereótipo japonês frente aos heróis ocidentais, sempre altos, bonitos e fortes. A grande questão é mostrar que heróis não são feitos apenas de super poderes, armas de última geração e milagres que até mesmo Deus duvidaria, mas sim de superação, esforço, muita vontade e fé!

Ainda essa semana, assisti ao episódio 34 dos Changeman, “SOS Planeta Terra”. Nele, a Rainha Ahames tinha sido agraciada com grandes poderes e transformava a vida dos habitantes de Tóquio um verdadeiro inferno. Ela ganhara a habilidade de criar, manipular e espalhar campos de força por onde quisesse, inclusive protegendo seus subordinados dos ataques dos Changeman. Nem mesmo a incrível Power Bazooka era páreo para esses campos de força.

changemandois

Como eles estavam espalhados pela cidade, atingiam as pessoas e causavam muitos acidentes. Em um destes, um ônibus escolar fora atingido e uma menina ficou gravemente ferida, precisando de uma transfusão de sangue. Porém o sangue teria de vir de outro hospital, e a ambulância não chegaria por conta dos campos de força. Caberia então a Tsurugi, Change Dragon, levar ele mesmo o sangue até o hospital. Cansado, ferido pela batalha anterior em que foram derrotados, sem qualquer perspectiva de sucesso e caçado como uma presa o herói sai, carregando o sangue, numa tentativa, que tinha tudo para dar errado, de salvar uma vida inocente. Mesmo sem qualquer chance de sucesso, mesmo que ele mesmo, Tsurugi, fosse mais importante para a Terra que um único ser humano, ele não desistiu de salvar uma singela e frágil vida, pois ele entende que esse é o seu dever como Changeman, mesmo que isso o levasse a perder a própria vida!

Sei que essa narrativa parece algo brega ou piegas, mas em minha opinião isso é a síntese do heroísmo. É fazer algo completamente desprendido em prol de outros. Mas não só isso. O herói, além de lutar e salvar as pessoas, também tem a capacidade de inspirar o que existe de melhor em cada um de nós. Extrair as mais diversas reações diante de situações que parecem impossíveis de serem transpostas e a nunca desistir, mesmo que pareça que não há saída. Isso é algo que sempre me vem à mente quando penso na figura do herói. Inclusive esse vídeo retrata muito bem esse meu pensamento. Mostra crianças tentando de tudo para ajudar Ultraman, que se encontra desfalecido por conta de uma batalha. Uma melodia contagiante e muito bonita mostra seres frágeis e se grandes poderes, tirando tudo de si para ajudar aquele que os inspira, que é seu modelo a ser seguido, não por lutar contra monstros espaciais, mas por fazer o que é correto. Espero que gostem:

 

Por falar em persistência e não desistir nunca, não posso deixar de mencionar o mais insistente dos heróis que conheço. Seiya de Pégaso, guerreiro de Atena que jamais desistiu de suas batalhas em defesa da deusa protetora da Terra. Seiya, além de persistente, é daqueles personagens que fazem questão de mostrar que nasceram para defender ideais nobres e que vivem suas vidas para os outros, quase numa concepção de mártir.

Entretanto nem é essa a intenção ao mencionar Seiya, mas sim a beleza de seus atos. Trata-se de alguém que não pensaria duas vezes em dar sua própria vida para proteger a Terra, seus amigos ou Atena. É aquele que sempre se prontifica a enfrentar seus inimigos não importando a força deles e nem mesmo se ele tem chances de vitória. Isso é algo que falta nas pessoas hoje. É muito comum vermos pessoas desistindo nos primeiros obstáculos que a vida oferece mal sabendo elas que estes obstáculos servem apenas para deixa-las mais fortes e preparando-as para novos obstáculos.

Não estou tentando comparar heróis de séries animadas com acontecimentos de nossas vidas, mas quero dizer que atitudes assim devem servir de inspiração para nosso dia a dia, pois a vida jamais será um mar de rosas, sem dificuldades e obstáculos, porém não se pode desistir, temos de seguir em frente e lutar até o fim. Querem um exemplo, basta assistir a esse trecho do final da Fase Santuário da Saga de Hades de Cavaleiros do Zodíaco. Vale lembrar que quem não chegou lá ainda, essa cena traz vários SPOILERS:

 

Sem querer estragar nenhuma surpresa, esse “cometa de pegaso” que o Seiya aplicou foi, simplesmente, o melhor de toda a história de Saint Seiya rsrs.

Finalizando, pode até ser que a coluna de hoje não agrade à todos, mas era algo que estava pedindo para ser publicado, ainda mais depois dos últimos acontecimentos na minha vida, onde vi uma pessoa da minha família lutando contra todas as probabilidades e circunstâncias e saindo vitorioso como um verdadeiro herói!

Um forte abraço a todos vocês e até a próxima!

GREGok

Comente com o Facebook: