@mor

@mor

Sou uma pessoa bastante curiosa e muito das coisas que li a respeito desse livro me deixaram ansiosa para conferir a história criada por Daniel Glattauer. A proposta era diferente, o tema é bem explícito pelo título, mas tudo que o envolve é extremamente único. A discussão que o livro traz é super válida e original, ainda mais nos dias de hoje. Teve quem amou @mor, teve quem odiou, eu fiquei em cima do muro. Gostei muito do livro, tanto que o devorei, li em pouquíssimos dias e o formato dele também facilita isso, é todo por e-mails. Tudo que sabemos da história, dos protagonistas e o que os cerca, vem do que é escrito nos e-mails e eu gostei muito do que li. Mas aí vem o balanço com a atitude dos personagens, o que não fez com que eu amasse o @amor.

Emmi “conheceu” Leo de uma forma bem incomum. Tentando cancelar a assinatura de uma revista e por um errinho de digitação, Emmi acabou mandando um e-mail para Leo, que logo respondeu avisando-a do erro. Algum tempo se passou e Leo recebeu um novo e-mail de Emmi, desejando Feliz Natal e Próspero Ano Novo. Esse e-mail, que foi daqueles enviado para um grupo de pessoas, a partir dele começou uma interação entre os dois. Uma ligação que acabou ficando cada vez mais forte, até que um dependia dos e-mails do outro para ter um dia bom.

Isso seria lindo e emocionante se Emmi não fosse casada. Afinal, eu conheci meu marido pela internet, na época do mIRC, isso é bem legal, moderno para a época e muito comum hoje em dia. Assim como o cada vez mais crescente número de casos de infidelidade através da rede mundial de computadores. E foi isso que me deixou de nariz torto com esses dois. Embora Emmi precisasse respirar um ar novo, tomar fôlego da sua vida, não acho correto que ela tenha se apaixonado e mantido essa paixão bem perto enquanto continuava casada. Mesmo que ela não admitisse por muito tempo que sentia esse tipo de coisa por Leo.

Leo passava por um momento bem turbulento em sua vida e Emmi meio que o resgatou da total decadência em que estava se metendo, do fundo do poço. Então, é super natural que ele se apegasse a ela para se manter são. Ele é um personagem muito bom, querido, fofo, um amor, de verdade. E desde que soube que Emmi era casada sempre tocava nessa tecla, mas também não foi forte o bastante para deixá-la para trás. Emmi se mostrava feliz no casamento com um cara anos mais velho e que tinha dois filhos do primeiro casamento. Eles dormiam em quartos separados, enfrentavam problemas com os adolescentes – afinal, são adolescentes – e tudo era muito o mesmo. Ela achava que era feliz, tinha certeza disso, na verdade. Mas foi quando Leo apareceu e as conversas deles ficaram cada vez mais profundas e sentimentais que ela se deu conta que não era bem assim.

Todo o contato dos dois foi por e-mail. Eles não se conheciam pessoalmente, Leo não queria estragar aquilo que eles tinham se conhecendo pessoalmente. Apesar de ter cedido e os dois terem meio que se encontrado em um café. Os dois combinaram de ir nesse lugar, no domingo, em um intervalo de tempo. Mas não se apresentariam, apenas imaginariam quem poderiam ser. Para Emmi, que vivia em uma rotina por algum tempo, isso foi extremamente excitante, fora do comum, vigoroso. O problema é que eles não pensaram em quem poderiam atingir e ferir levando isso em frente. Chegou a um ponto em que Emmi só pensava em Leo e vice-versa.

Achei a leitura super válida. Como já escrevi acima, eu devorei o livro, queria saber logo onde aquilo iria parar e aquele final me deixou bolada. Ahhhhh, como pode terminar assim? Recentemente a Suma de Letras lançou o segundo livro Emmi e Leo, estou mega curiosa para conferir, mesmo tendo lido a opinião de uma blogueira de que o autor acabou com a história. Aiai, eu fico um pouco desanimada, mas a curiosidade é maior. Ainda quero ler. O livro foi um presente da Nanda e eu amei, porque fazia muito tempo que queria conferir essa história. Obrigada!!

@mornovo Essa é a nova capa lançada pela editora, para combinar com o segundo livro. Achei tão fofa!!

EmmiLeoE esse é o segundo livro. Curiosa demais para saber o que ele conta. 

Beijos e uma ótima quinta-feira.

Comente com o Facebook: