Assisti ao piloto e…

Olá, pessoal! Na semana passada duas novas séries estrearam na programação dos EUA e, como nem sou curiosa, resolvi conferir. A primeira delas eu não tinha certeza se me interessaria, mas a indicação da minha fiel companheira de vício em séries – Oi de novo, Miloca – fez com que eu desse uma chance ao enredo diferente de Sleepy Hollow.

SleepyHollow 

A série é considerada uma releitura moderna de A lenda do cavaleiro sem cabeça. O ex-professor de história, Ichabod Crane, que lutou na guerra revolucionária como capitão no século XVIII, cortou a cabeça de um cavaleiro e, de alguma forma, ambos aparecem nos tempos atuais. Ichabod reecontra o cavaleiro, que agora assombra a cidade que dá nome à série.

Primeiro eu tenho que dizer que adorei o ator que interpreta o Ichabod, que é todo trabalhado no sarcasmo. Abbie Mills, a companheira do professor nessa louca jornada, também merece elogios no piloto. Gostei da química entre eles. A história mostrou ser bastante tensa, com direito a Cavaleiros do Apocalipse e até a uma aparição que me deu um baita susto bem perto do fim. O piloto me conquistou e vou querer conferir os próximos episódios da série, que tem toda uma atmosfera dark.

No piloto conhecemos Ichabod e sua história com o “cavaleiro sem cabeça”. Também o vemos aparecer no tempo atual e lidar com as loucuras da modernidade. Sem falar na incredulidade de ter uma mulher, negra e que usa calças em um cargo importante da polícia. A estreia serviu para mostrar que Sleepy Hollow é uma daquelas cidades cheias de segredos e mistérios, daqueles de arrepiar. Ichabod e Abbie se unem para dar conta desse mal que voltou para assombrar a cidade e que traz uma mensagem bem sinistra. Se tudo for bem trabalhado, com certeza tem futuro. Ainda mais com a participação do meu queridinho John Noble, o ator que interpretou Walter Bishop em Fringe.


Por outro lado, a outra estreia não me animou nem um pouco, tanto que nem vou me dar ao trabalho de adicioná-la em minha grade. Brooklyn Nine-Nine é uma sitcom policial. Eu gosto de sitcons, mas esta não funcionou. É cheia de clichês, com humor escrachado e forçado. Sem falar que 20 minutos para resolver um caso policial é muito artificial. Não sei, simplesmente não funcionou para mim. Quis assistir porque o pai do Chris, de Todo Mundo Odeia o Chris, o ator Terry Crews, está no elenco, mas nem ele brilhou no piloto.

Brooklyn-Nine-Nine

A série é uma produção de Michael Schur e Dan Goor, de Parks and Recreation, e acompanha um grupo de detetives de uma delegacia de Nova York. Cada detetive tem sua particularidade, como uma ex-professora que se tornou detetive, um recém-divorciado que se sente responsável pelo novato, uma jovem inexperiente e assustada que deixa os colegas apreensivos, entre outros. Para mim não funcionou e não pretendo continuar a assistir, a não ser que mais para frente eu leia algum texto dizendo que ela melhorou muito, mas não acho que isso vá acontecer. No entanto, quero frisar, o que não funciona para mim pode funcionar para você, então se esse é o tipo de série que lhe agrada, dê uma chance.

Esta semana voltam e estreiam muitas séries!! Fiz uma pequena conta e me apavorei: tenho 12 séries com episódios novos apenas nesta semana – Castle, How I Met Your Mother, 2 Broke Girls, Chicago Fire, Marvel’s Agents of SHIELD, Modern Family, Parenthood, Elementary, Glee, Hawaii Five-O, Revenge e Once Upon a Time. Uma delas é Glee, que eu ainda tenho que colocar em dia. Preciso me organizar.

Beijocas e uma excelente segunda-feira.

Comente com o Facebook: