Will & Will – Um nome, um destino

Fotoss 002

John Green, podemos dizer assim, é o autor do momento. Seus livros são desejados assim que o lançamento é anunciado, suas histórias são tocantes e envolventes, seus personagens são fortes – ok, eu só li um livro dele, mas é isso que se pode deduzir depois de ler algumas resenhas –, e  reúnem um grande número de fãs. David Levithan não é tão famosinho quando seu companheiro de escrita, mas é responsável por uma parte de Nick & Norah e seu lançamento por aqui Todo Dia está arrancando elogios. Juntar estes dois para escrever uma história não poderia dar errado, não é? E não deu, de certa forma.

Will & Will é um livro diferente, focado na vida de dois personagens bem distintos que possuem o mesmo nome, mas no centro de tudo está Tiny Cooper. Aliás, achei bem interessante uma informação que li, no original o título é Will Grayson, Will Grayson e a vírgula representa o Tiny. Partindo daí, vocês podem imaginar como ele é importante na história. Os autores colocaram na trama dois adolescentes problemáticos, com problemas de autoestima, dificuldades de interação com as pessoas e atitudes depressivas. Um dos Will – que eu acredito ter sido escrito por David por conta de seu enorme interesse por música e a linguagem parecida com o Nick do outro livro do autor – vem de uma família de médicos, é educado, super na dele e tem como melhor amigo Tiny, que de discreto não tem nada. Tiny é gay e não esconde de ninguém, é uma drama queen, mas uma pessoa com a cabeça centrada na maioria das vezes. Tem seus momentos de egoísmo, autoestima não é problema para ele – não que ele deixe perceber – e é um garoto para cima, cheio de empolgação.

Do outro lado, em outra cidade e outra realidade, está Will 2, diagnosticado com depressão, precisa de medicamentos, vive apenas com a mãe, que faz de tudo pelo filho. Ele é totalmente de mal com a vida. Tem uma amiga meio metidona, Maura, que não aceita não como resposta e é praticamente com ela apenas que mantém contato. A internet é o seu habitat, lá ele não tem apenas um amigo, mas também uma paixão, Isaac. Os capítulos que falam sobre este Will são todos escritos com letra minúscula, o que pode remeter ao fato de ele ser um garoto da web e que os adolescentes geralmente não usam maiúsculas quando escrevem ou ao fato de ele se sentir tão menor que os outros que nem o I (Eu), que é sempre escrito em maiúscula em inglês, ele escreve como se deve.

Em um determinado momento a vida dos dois Wills se conecta e é a partir desse encontro que a história deles começa a mudar. O livro não é totalmente um romance gay – como eu pensei que fosse inicialmente, antes de ler mais sobre –, ele fala sobre amizade, confiança, força, além de amor. Ele trata sobre o crescimento dos personagens adolescentes, que em sua maioria veem sempre tempestade em copo d’água. E o responsável pelas mudanças é Tiny, que vira o centro do livro, a cola que liga os dois mundos, é a luz que acende na cabeça dos meninos. O final é fofo e emocionante, fecha o livro com chave de ouro.

Eu gostei da leitura, achei divertida, mas não amei de paixão. É uma história boa, interessante, cheia de reflexões, mas não sei, poderia ter sido mais. Poderia ter empolgado mais, não foi um livro que eu corria para ler, que eu não desgrudava. Pode ter sido o momento ou simplesmente ele não me fisgou como deveria. Por isso ganhou apenas quatro estrelas. Ao ler algumas opiniões sobre ele, percebi que é daqueles livros que divide opiniões. Uns amam, outros odeiam e eu fico no meio termo, mais para amei do que odiei, porque me diverti muito, principalmente com Tiny.

Cliques de Will & Will

Fotoss 004 Início de capítulo do Will 1

Fotoss 005Início de capítulo do Will 2. 

Ah, tenho que agradecer imensamente a Bruna por ter me emprestado seu exemplar. ^^ Beijos e uma excelente quinta-feira.

Comente com o Facebook: