Assisti ao piloto e… Fall season 2013

Eu não tenho jeito, minha curiosidade sempre vence. E nessa época de muitas estreias da fall season eu fico doidinha querendo conferir tudo. Só na semana que passou foram três novos pilotos, mas eu nem me apavorei tanto porque apenas um deles me fisgou de jeito. Das três comédias que assisti nessa temporada de estreias, nenhuma me ganhou. Tudo bem que foi apenas o piloto, mas ainda assim não vejo muitas chances de continuar. Falando nisso, uma que não assisti e que não estava muito empolgada foi cancelada após ter apenas dois episódios exibidos: Lucky 7 não foi tão lucky assim. Bom, passando para as que assisti, farei um breve comentário do piloto e – quem sabe se eu continuar assistindo – pretendo fazer um post completo de Conheça a Série mais adiante.

  • Mom

mom

A produção tem Anna Faris como protagonista, ela e Allison Janney. Bom, como o nome diz, o centro da série é “mãe” e sua relação quase sempre complicada com a filha. Christy é uma garçonete, que está há meses nos alcóolicos anônimos – e acha que esses foram os piores meses de sua vida –, ela tenta ser uma mãe melhor para seus dois filhos do que sua mãe foi para ela. Aliás, ela culpa sua mãe pelo fracasso de sua vida. Christy ficou grávida aos 16 anos e vê sua filha, também de 16 anos, meio que cometer os mesmos erros que ela. Só que por ter sido uma mãe relapsa nos últimos tempos, ela não tem a atenção e muito menos o respeito da filha e é isso que ela quer mudar. Tudo piora quando sua mãe, Bonnie, aparece e quer ser presença constante na vida da filha, claro, dando pitacos sobre como ela deve fazer isso ou aquilo. O filho de Christy é um amor, mas o pai dele é uma pessoa horrenda, que quer vender drogas para conseguir pagar a pensão do filho – e ainda pede dinheiro emprestado para a ex para fazer a compra.

A premissa é até legal, mas tem tantos clichês cômicos que já não aguentamos mais ver, o que não me empolgou tanto. Tenho o segundo episódio para assistir e acho que ele vai determinar se continuo nessa ou não. Vale lembrar que a série estreia amanhã na Warner.

  • Super Fun Night

super fun

Bom, Kimmie e suas duas melhores amigas não são o que podemos chamar de super sociais. Elas preferem ficar em casa a sair e badalar. Mas, juntas, tomaram a decisão de criar uma noite na semana para ser realmente divertida, a tal Super Fun Night. Kimmie e as amigas também não estão dentro do “padrão”. Uma é gordinha, a outra é meio machorra e a terceira é super nerd, com olhinhos puxados e óculos. Kimmie é uma advogada e acabou de receber uma promoção, ela se dá super bem com o chefe e até gosta um tiquinho dele. Então entra em cena uma advogada gostosona e ambiciosa que descobre que o chefe é filho do dono da empresa e vê nele um bom partido para se “encostar”. Ainda bem que ele não é como a maioria dos homens e vê potencial em Kimmie.

Eu curti o piloto, mas acho que vou me incomodar com o velho clichê de gorda, mal-amada, que é passada a perna pela gostosona, que sofre preconceito, etc e tal. Apesar de que achei muito interessante ela ter passado por cima de seus medos e feito algo que temia muito. E adorei a resposta do cara para a gostosona no fim. Então verei mais um ou dois episódios antes de me decidir. A série também será exibida pela Warner no Brasil, a partir do dia 14 de outubro.

  • The Blacklist

blacklist

Estava eu em casa, tranquila, quando zapeei e vi que a Sony exibiria o piloto desta série. Resolvi assistir sem compromisso e BAM, fui fisgada. A série é cheia de ação, inteligência e sangue frio. The Blacklist é estrelada por James Spader, que interpreta Raymond Reddington, um ex-militar do serviço de inteligência que se transforma em um dos criminosos mais procurados do governo. Quando ele se entrega aos federais, faz um acordo para ajudar a polícia a capturar o terrorista Ranko Zamani, bem como outros criminosos que fazem parte de uma lista que ele criou. Em troca, pede para trabalhar ao lado de Elizabeth Keen, uma agente novata do FBI que, aparentemente, não tem nenhuma conexão com ele.

O piloto foi de tirar o fôlego, adorei cada momento. E percebi que ainda há muito pano para a manga, tanto no relacionamento entre Lizzie e Red quanto no de Lizzie com seu marido, que parecia o cara perfeito, com quem ela adotaria um bebê, e acabou se mostrando muito mais misterioso. Fiquei mega curiosa para saber o desenrolar disso.

 

A notícia boa é que The Blacklist ganhou uma temporada completa após a exibição de apenas dois episódios, que tiveram uma audiência incrível. A produção é exibida no Brasil pelo Canal Sony, todas as terças-feiras às 21h. Falando nisso, Sleepy Hollow – que já comentei por aqui - foi renovada, embora conte com apenas treze episódios produzidos para sua primeira temporada, o que é uma opção do canal, manter a série com apenas 13 episódios.

Bom, agora tenho que me programar, porque a agenda está lotada. Só hoje tenho episódios novos baixados de Hawaii Five-O, Glee, Chicago Fire, The Vampire Diaries, Haven, The Originals, Modern Family e Once Upon a Time. Mas vamos que vamos, ainda quero conferir o piloto de Welcome to the Family.

Beijos e um excelente início de semana.

Comente com o Facebook: