O fim de Lost

COM SPOILERS!

LOST - "The End" - One of the most critically-acclaimed and groundbreaking shows of the past decade concludes in this "Lost" Series Finale Event. The battle lines are drawn as Locke puts his plan into action, which could finally liberate him from the island, on "Lost," SUNDAY, MAY 23 (9:00-11:30 p.m., ET) on the ABC Television Network. (ABC/MARIO PEREZ)
IAN SOMERHALDER, ELIZABETH MITCHELL, JOSH HOLLOWAY, JOHN TERRY, MATTHEW FOX, EVANGELINE LILLY, EMILIE DE RAVIN (OBSCURED), HENRY IAN CUSICK, SONYA WALGER O “The End” tão esperado (e temido) por milhares de fãs chegou e com ele reações bastante diferentes. Não era o fim que eu imaginava e esperava, pensei que seria muito mais fantástico, no sentido de fantasia. No entanto, não faço parte do grupo do “não gostei”. A série cumpriu seu papel e nos deu muitas das respostas que precisávamos. Pensando bem e lembrando de tudo até aqui, faz muito sentido o fim apresentado a nós por Damon Lindelof e Carlton Cuse. O que mais seria aquela ilha senão o lugar onde todos pudessem mostrar o seu melhor, se redimir de seus passados sujos e tão imperfeitos, para então, seguirem em frente?

lost1_1642267c Chorei e chorei muito durante todo o “The End”, pelos reencontros, pelo perdão, por descobrir que todos estavam mortos e, principalmente, pelo fim desta grande série, que nunca será esquecida. Afinal, foram seis anos de convivência com os losties e de sentimentos criados por eles. Torcemos por pessoas que mataram, torturaram, enfim, erraram muito, e a recompensa para eles era exatamente essa redenção. Não há muito mais o que se comentar, mas há muito para se pensar e refletir. A fé venceu a razão no desfecho de Lost.

Li alguns dos sites que mais gosto sobre o fim da série e vou postar aqui alguns comentários interessantes e que expressam meu pensamento:

 

“A cada minuto que penso na solução do purgatório as coisas começam a fazer sentido. O avião caiu, os personagens ficaram vagando pela ilha (como alguns até hoje estão lá sem conseguirem “se libertar”, conforme as explicações do que são os “sussurros”) e cumpriram sua pena para terem direito á passagem para outro lugar/outro mundo/outra dimensão.”

Blog Fora de Série.

 

“A única coisa que sabemos é que eles estavam ali para seguirem em frente, o que quer que isso signifique neste momento. Perceber a realidade paralela como um "pós-vida" é de certa forma algo triste. Não pelo fato em si, mas por constatar que muitos personagens só encontraram a felicidade depois que morreram... Por outro lado, os sofrimentos da ilha fizeram com que muitos deles passassem por transformações que permitiram que laços fossem criados e que cada um encontrasse um sentido e uma motivação para sua existência, permitindo que eles experimentassem a felicidade na realidade da ilha, mesmo que essa felicidade não tenha durado por muito tempo.”

Caldeirão de Séries

 

“Muitos, somos Locke em crenças inabaláveis; somos Hurley no amor à inocência; somos Sawyer quando ora renunciamos, ora revelamos o que trazemos; somos Kate ao acertarmos errando; somos Sayid ao encontrar pesadelos que contam nossa história mas não nos mostram; somos Charlie ao sucumbirmos diante de nossas fraquezas e ao conseguirmos nos fortalecer diante delas; somos Desmond na luta pelos amores que nos dão constantes de vida; somos Jack em transformações que, mesmo em morte, nos apontam a direção.

Lost in Lost

 

“E no fim não mais importaram os números, as teorias, os mistérios ou mitos. A realidade paralela foi apenas um ponto de encontro daqueles que a todo custo viveram juntos e não queriam morrer sozinhos, a “antessala” do paraíso para os que precisam dar um nome a tudo. Mas o maior feito deste final foi o de criar algo atemporal, completo e ainda assim aberto para (milhões de) interpretações.”

Ligado em Série

 

Bem,

See you all in another life, brothers!

Comente com o Facebook: