Uma crença silenciosa em anjos – R.J. Ellory

Corr_CpCrencaSilenciosaEmAnjos.pdf

Ainda estou um pouco em êxtase com o fim do livro. Uau! Uma crença silenciosa em anjos é uma obra excepcional, com uma narrativa brilhante, quase poética. Consegue ser envolvente, frustrante, cativante e forte. Daquelas obras que nos fazem pensar, e muito. Cheia de quotes.

Uma ou duas vezes pensei em desistir do livro, largar ele e nunca mais pegar, tamanho o sofrimento que me causou. Joseph Calvin Vaughan era apenas uma criança quando sua vida tomou o rumo da dor e da escuridão, não por escolha dele, mas acho que ele sempre esteve no lugar errado e por conta disso teve um caminho tão repleto de pedras, grandes pedras, aliás, pedras e perdas.

Perdeu o pai cedo, a morte veio pela High Road e o levou. No fundo, Joseph pensava que seu pai, caso se esforçasse para compensar o que poderia ter feito de errado, pudesse virar um anjo. E mesmo tão novo sabia tudo sobre anjos e sempre procurou saber mais. Lugar errado. Joseph morava em Augusta Falls, uma cidadezinha do interior que ficou desolada e apavorada com a morte violenta de uma garotinha, fato que se repetiu e se repetiu nos anos seguintes. Joseph conhecia todas as meninas, estudava com elas e de alguma forma sugou para ele a responsabilidade de cuidar para que isso jamais ocorresse. Sentia-se responsável pelas que morreram. Isso o consumia. Não cumprir suas promessas foi um fantasma que o acompanhou por toda a vida.

Joseph era iluminado, tinha o dom da escrita. Era brilhante, perspicaz e competente usando as palavras. E creio que por isso ele não cedeu diante de tanta barbaridade em sua vida.

Escrever é um exorcismo do medo e do ódio; pode ser uma forma de superar o preconceito e a dor. Se puder escrever, você pelo menos tem uma chance de se expressar... pode expor seus pensamentos ao mundo, e mesmo se ninguém de fato os ler ou os compreender, eles já não estarão presos dentro de você. Página 69

Sofri tanto, tanto com Joseph que meu humor mudou enquanto lia. Então cheguei a conclusão de que o que leio pode afetar meu humor. Estava rabugenta, querendo ficar sozinha, sem conversar muito. Pensando. Se eu estivesse na pele dele, acho que não teria tanta força para me reerguer, nem uma das vezes que ele se reergueu.

Não sei como alguém pode suportar perder tanta gente e ainda acreditar na bondade fundamental do ser humano. Página 432

As palavras saíram do meu pensamento, claro que minhas palavras seriam bem mais simples, mas isso resume. Enfim, o livro teve um final surpreendente, incrível, inimaginável. E agradeci por ter sido forte o bastante para não largá-lo quando pensei. Uma salva de palmas para R.J. Ellory.

desafiodeferias-bannerv2 

12841287537056GAh, tive a oportunidade de ler este livro através do grupo do Skoob Livro Viajante. Uma pessoa maravilhosa e corajosa coloca seu livro para viajar para um determinado número de pessoas que tem um também determinado tempo para ler e depois passá-lo adiante. Obrigada Ioná pela confiança e pela chance de ler este livro. E não posso deixar de comentar a capa, linda e com umas manchas que remetem a sangue.

Beijos e uma ótima quinta-feira!

Comente com o Facebook: