O Casarão

casarão Fui apresentada ao livro de Vicente Reckziegel através de um book tour é mais um promovido pelo próprio autor. Instantaneamente aquele ar de suspense que o livro sugere me deixou muito curiosa e louca para devorar suas páginas. Bom, não as devorei, li um pouco mais devagar do que pretendia, mas tive uma leitura muito prazerosa e repleta de medo, como deve ser.

O cenário é a cidade de Estrela, no Rio Grande do Sul. Os personagens principais são quatro adolescentes (Rafael, Felipe, Jonas e Roberto), que são acometidos por um mal muito recorrente nos dias de hoje – e arrisco dizer, desde sempre –: a curiosidade. A trama se desenvolve ao redor de um grande mistério, a lenda de um casarão mal-assombrado em um local mais afastado da cidade.

Quando que um grupo de adolescentes, em uma cidade pequena, sem muito para se fazer, não se empolga com uma notícia dessas? Um lugar totalmente novo a ser explorado e tão cheio de incertezas. Logo que ficam sabendo da existência do casarão, notícia ouvida por Jonas através de seus avôs, os quatro pegam suas bicicletas para averiguar o local. E mesmo sem saber dão início a uma série de eventos inesperados e ruins, bem ruins. O casarão possui poder sobre eles, os faz desejar estar lá dentro e começa a mudá-los, para pior é claro. Mas a consequência disso você só vai saber se ler.

A narrativa ocorre hora em primeira pessoa com Rafael contando a estória, hora em terceira pessoa, com um narrador de fora. O livro tem 142 páginas e uma letrinha bem pequena, que me atrapalhou um pouco na leitura, isso que eu uso óculos ou será que é porque eu uso óculos? Encontrei também alguns errinhos de edição, como falta de acento em algumas palavras, mas nada que me tirasse tanto a atenção da trama em geral. A capa me conquistou, é simples, porém bonita e cai bem com o “recheio” do livro.

É difícil crescer. Mais complicado ainda entender as mudanças que vem com esse crescimento. Uma nova visão do mundo, onde a inocência aos poucos desaparece ao longe. Apenas uma enevoada visão que fica no passado. Página 75

Gostei muito do livro, da proposta, do enredo, dos personagens muito bem criados e apresentados, então, fica mais do que indicado. Afinal, é trabalho de um escritor daqui e sou da opinião que devemos cada vez mais apoiar as boas obras escritas por eles.

Uma ótima quinta-feira!

Comente com o Facebook: