Lázarus

Lázarus  (1)

Não tem coisa melhor do que você pegar um livro e de cara perceber o grande talento que o escritor(a) tem. Georgette Silen, autora de Lázarus tem isso, o livro é muito bem escrito, gostoso de ler, fruto de uma boa pesquisa e com um toque de originalidade. Sim, o livro fala sobre vampiros, mas tem algo mais.

Bristol não é mais uma cidade calma, como a grande maioria das cidades mundo afora já não o são, mortes seguidas e horripilantes estão tirando o sossego da polícia, de familiares das vítimas e daqueles que se sentem desprotegidos nas ruas. As vítimas, inicialmente são pessoas que vivem nas ruas, mas com o tempo o assassino começa a atacar moças de família, trabalhadores, gerando ainda mais caos. Que monstro é esse capaz de tais atrocidades e que nunca é pego, não deixa pistas? Bom, ele drena o sangue das vítimas, então de que espécie ele é, você já pode ter certeza.

É para essa cidade, que marcou tanto sua infância, que Laura Vargas viaja com sua filha, Cinthia, para uma nova vida. A inteligentíssima viúva que morava no Brasil, mas que conhece Bristol de suas viagens de visitas à avó paterna, agora é curadora do The City Museum of Art and Gallery, um cargo dos sonhos. Aliás, dos sonhos é também o irmão de sua chefe, Robert, que arrebata o coração da brasileira logo de primeira.

Tudo parece ir bem na vida de Laura, um cara gato a paquerando, a filha se dando bem na escola, com novas amizades, o emprego dos sonhos, etc. Mas não pode ser assim, tudo tão fácil e sem obstáculos. Numa noite, sua assistente, Kate, é atacada pelo tal assassino misterioso, a quem Laura tem a certeza de ter visto na noite de seu primeiro evento no museu. A ação rápida de Laura para salvar Kate dá certo e a garota consegue sobreviver, mas as consequências do ataque sempre estarão ali. Vendo o sofrimento de Kate e sua família, Laura decide procurar mais sobre o homem misterioso que viu nos arbustos, a lembnrança a arrepia, principalmente aqueles olhos vermelhos. E depois de tomar essa decisão sua vida nunca mais foi a mesma. Ela descobre coisas que jamais imaginaria, dá de cara com verdades praticamente impossíveis de aceitar e tem a prova de quem nem todos são o que parecem ser. A estória tem mistério, sangue, vampiros e outros ingredientes que fazem dela ótima. Infelizmente não pude ler com tanta atenção e cuidado como eu queria, é livro de book tour e tive que ler correndo demais pra poder enviar no prazo, porém, pretendo lê-lo novamente e com mais calma mais para frente.

Lázarus é dividido em três livros: Travessia, Metamorfose e Conversão, mostrando diferentes fases da vida de Laura. Seus obstáculos, suas vitórias e suas derrotas. O fim foi surpreendente, muito criativo. O segundo livro foi o que eu menos achei original, muitas vezes lembrava de Crepúsculo, só lendo para você entender o motivo. Não quero soltar spoilers e se eu escrever mais, vou acabar soltando algum. Mas pense em vampiros, clãs, perseguição, luta, força e coragem, duas das qualidades mais presentes em Laura.

Os personagens são bem trabalhados e o fato da protagonista e seu par romântico serem adultos dá muito mais maturidade ao romance. É praticamente impossível não se ligar a vários personagens. David, melhor amigo de Laura desde a infância, sempre era imaginado em minha cabeça como o ator Mark Ruffalo, porque eu vi E se fosse verdade na TV e o personagem era David. Doida, eu sei.

Na minha singela opinião, este livro poderia muito bem ter sido dividido mesmo em livros separados, as 376 páginas possuem letras muito pequeninas que dificultam a leitura, principalmente a minha que uso óculos, a vista cansa rápido, sem falar que você lê, lê e lê e parece que não sai da página – ou o meu momento que não estava bom para a leitura. As cenas também são muito descritivas, não que isso seja um defeito, é muito bom poder imaginar com a maior perfeição possível um local, mas teve horas em que se tornou cansativo. Tenho que dar parabéns pelos raros erros de edição/digitação que encontrei, coisa pouca mesmo.

Enfim, este é mais um livro dessa safra maravilhosa de escritores nacionais. Estou gostando muito da qualidade do que leio e quero sempre ler mais. Ah, a notícia ruim para o nosso bolso é que Lázarus é uma série, composta de quatro livros. Preparem suas economias.

 

Aproveitando o tema vampiresco, vou postar um meme que recebi da fofa Ana C. Nonato, do blog Seis Milênios.

of love and evil

1- Entre amor e a maldade, qual você escolhe?
Hum, prefiro sempre o amor, né? Um sentimento bonito, cheio de calor, reconfortante.
2- Louis ou Lestat?
Lestat.
3- Vampiros ou Bruxas?
Vampiros, principalmente se for o Damon♥.
4- Sangue ou Vodka?
Pode ser cerveja?! =p
5- Anjos ou Demônios?
Anjos. Castiel♥.
6- Eternidade ou Humanidade?
Depende muito da situação, mas no momento minha escolha é humanidade.
7- Cláudia ou Akasha?
Vou de Akasha porque achei o nome bem melhor.
8- Armand ou Marius?
Ai gente, não faço ideia.
9- Rock ou Clássico?
Cada um tem seu lugar em momentos diferentes!
10- Anne Rice ou Stephenie Meyer?
Impossível fazer essa escolha. Anne é “ídola”, Stephenie soube trazer uma estória de vampiros que cativasse e conquistasse grande parte dos leitores. Não posso escolher.
11- Vampiros Rockeiros ou os Bonzinhos?
Como assim roqueiros? Rock é símbolo de mal? Estranho. Gosto de vampiros bonzinhos, mas tenho uma queda pelos malvadinhos, leia-se mais uma vez Damon! Tem o Erick de True Blood também. Mas nem vou começar a listar.


Não tem regras para indicar, então vou passar para 10 blogs:

  • Bruna in Wonderland
  • Sou Karen
  • Vício em Livros
  • Minha Estante
  • Universo Literário
  • TOC
  • Boato e afins
  • Confissões Literárias
  • Três Lápis
  • Equalize da Leitura

Beijos!

Comente com o Facebook: