O céu está em todo lugar

DSC_2122

A trama é densa, por vezes depressiva, sem chão, e por outras é tão feliz, que te leva para o céu. O conjunto é lindo e poético. No início, assim que peguei o livro, não conseguia ler muito, alguns erros de tradução deixavam as frases sem sentido e eu precisava voltar para tentar entender. Isso me deixou frustrada, mas só percebi isso incomodando no começo, depois acompanhei o desenrolar da vida de Lennie como se fosse uma amiga muito próxima ou até mesmo fazendo o papel de Bailey, a irmã mais velha que queria aconselhar a mais nova, queria estar ao lado para todos os momentos, os bons e ruins.

Acontece que Bailey não estava mais lá, um problema no coração tirou sua vida no auge da juventude, ela tinha apenas 19 anos. Lennie, com 17 anos, cai feio com a notícia da perda da irmã, afinal elas foram parceiras em tudo e Bails era seu modelo, seu centro do universo, seu tudo. As meninas moravam com a avó e com o tio Big (que se divorciara pela quinta vez), pois sua mãe tinha sangue de exploradora, um gene inquieto como muitos na família, que a fez deixar as filhas e seguir para todos os cantos do mundo.

DSC_21222Um dos bilhetes de Lennie. 

Lennie não sabe como poderá superar a morte da irmã ou se um dia conseguirá. O baque foi grande, inesperado e ela não aceitava o que aconteceu, Bailey havia prometido que elas estariam juntas para sempre, que ela não ia deixar Lennie sozinha e nem a abandonaria como a mãe fez. A jovem se distanciou de tudo e de todos, não conversava sobre o assunto com ninguém e as únicas coisas que fazia eram sentir saudade e escrever poemas em qualquer lugar que seja possível, distribuí-los ao vento ou escondê-los sob pedras, etc. Em sua cabecinha confusa, apenas quem a entendia era Toby, o namorado de sua irmã, que estava acabado como ela. Esse sentimento de dor acaba unindo os dois de uma forma completamente estranha. Quando estão juntos, se beijam e não conseguem deixar os corpos longe um do outro. Mas isso não é amor.

Amor é Joe Fontaine. Pirigueteando. O garoto novo, músico exemplar, cheio de mel que derrete todas as garotas da escola. Mas entre todas elas ele escolhe se apaixonar por uma só e esse sentimento totalmente novo, principalmente para a garota, vai fazer com que sua vida saboreie um pouco do gostinho do céu.

Joe é um doce de pessoa, impossível não piriguetear com ele, sério. Apesar de ter me tirado do sério algumas vezes – saí falando sozinha pela casa, o xingando por uma atitude e meu marido pensou que estivesse doida –, o rapaz sabe como conquistar um coração. Os personagens, em geral, são bastante carismáticos. Quem não se apega a uma vovó que chama a neta de docinho, que vive pintando com a cor verde e tem as flores mais lindas de todo o mundo? Ou então pelo tio grandão que acha que a coisa mais romântica do mundo é propor uma mulher em casamento e faz isso com uma frequência bastante grande, que cria uma pirâmide para tentar ressuscitar insetos, flores, etc? Tem ainda os irmãos Fontaine – existem mais dois♥ –, Sarah, a melhor amiga de Lennie, louca que só, e Toby.

Realmente me apeguei a todos e apesar de a estória ser muito, muito triste, de Lennie sofrer tanto, se culpar por tudo, lamentar em todo momento pela perda da irmã – o que posso entender –, o livro teve um saldo super positivo para mim. Não sei se é porque eu entendo o sentimento de Lennie, se é porque já passei por perda parecida e inesperada, mas O céu está em todo lugar, de Jandy Nelson, foi uma leitura que teve um gostinho especial para mim e é um livro que vou recomendar. Sem falar que esteticamente falando ele é incrível. Lindo, lindo e lindo.

Separei várias quotes do livro, mas vou colocar apenas algumas aqui:

Ele tem razão. É exatamente isso, sou loucamente triste e, em algum lugar lá no fundo, tudo que quero é voar. Página 112

[…] e então, para minha surpresa, não me beija, mas me envolve em seus braços. Por um momento, com minha mente tão perto do coração dele, ouço o vento soprar forte e sinto como se fosse nos levantar do chão para nos levar com ele. Página 144

E então também me sinto enlouquecer, pois Joe Fontaine está prestes a me beijar. Finalmente.

Deixa o convento para lá.

Deixe-me desabafar de uma vez: meu lado de garota vadia, antes inexistente, agora está à flor da pele. Página 159

Ficamos nos entreolhando por um bom tempo e, neste instante, sinto que nos beijamos com mais paixão do que nunca, apesar de nem nos tocarmos. Página surpresa.

Têm muitos mais de onde estes vieram. Detalhe que os que escolhi, todos são com Joe Fontaine♥.

livro2Beijos e uma ótima quinta-feira.

Comente com o Facebook: