Annabel & Sarah

annabel_capa2-198x300 O livro de Jim Anotsu pode dividir opiniões. No começo eu pensei: “que doideira”, mas no fim eu percebi que tudo fazia muito sentido e o livro ficou à beira da genialidade, tudo é uma questão de percepção. Em Annabel & Sarah – o primeiro livro do autor – conhecemos as irmãs gêmeas que dão título à obra. Elas têm personalidades bem diferentes. Annabel é crítica, cheia de atitude, um pouco revoltada e adora ser sarcástica. Seus cabelos são pretos, suas roupas descoladas e nos pés tem um par de All-Star inseparável. Sarah é meiga, com estereótipo de patricinha, cabelos louros, roupas da moda e interesse em futilidades. A primeira mora com o pai, um cineasta. A segunda vive com a mãe, uma cirurgiã plástica. Tanta diferença não poderia resultar em nada diferente do que uma briga eterna. Elas não se gostam, só se suportam nos fins de semana que passam com o pai e este era mais um deles.

Annabel reluta, não quer se aproximar da irmã, que até tenta ser amiga, mas não rola. Quando Annabel entra onde não devia enquanto esperam o pai resolver coisas do trabalho, Sarah, que entra atrás da irmã, é sugada por uma televisão e aí toda a loucura começa. Annabel surta com o que vê e não se preocupa de a irmã ter sumido, mas em como vai explicar que ela se foi. Então uma voz vem da TV, parece um programa de auditório. A mulher que aparece diz que Annabel pode salvar a irmã, basta levar a flor Amor-Perfeito para ela. Agarrando a única chance que tem de trazer a irmã de volta, Annabel aceita o desafio e também é sugada pelo aparelho.

Do outro lado as irmãs caem em mundos diferentes. Annabel está em um mundo em que os animais andam, falam e se vestem como os humanos, que por sua vez são considerados selvagens e quando não se escondem nas florestas são domesticados e/ou viram comida. Já Sarah está em um lugar mais assustador ao meu ver, em uma cidade em que ser feliz é obrigatório. Quem demonstra tristeza é exilado. A prefeita se utiliza de uma torta vermelha para garantir que todos sejam felizes – quando ela mesma não é.

É uma aventura atrás da outra, uma loucura constante que faz lembrar de Alice no país das maravilhas. O livro é recheado de lições e críticas, que são feitas, podemos dizer, de forma sutil, já que ficamos tão entregues à leitura. A escrita de Jim é muito boa, prende o leitor. Sua obra tem o tamanho exato, uma vez que não deixa nada para trás nem deixa a leitura cansativa. tumblr_l8jftjkKVG1qbieze Foto do Encapando.

No livro há também várias referências musicais, de filmes e arte. Não posso esquecer de elogiar infinitamente o trabalho de diagramação do livro, é excelente, lindo e muito bem feito. Dá todo um charme a mais ao livro. Foi realmente uma bela surpresa.  Claro que também me deparei com errinhos de digitação, concordância, etc. O que fez o livro perder um pouco de nota comigo, mas nada tão grave.

desafio de ferias Este livro faz parte do book tour da editora Underworld, que o blog do Clube do Livro está participando. Também é válido para o Desafio de Férias.

Beijos e úma excelente quinta-feira!!

Comente com o Facebook: