O fim dos downloads

Na semana retrasada uma notícia chocou quem usa a internet para baixar conteúdos, o Megaupload, um dos sites mais utilizados para este fim, havia sido fechado pelo FBI e seus donos estavam presos. Como assim? Uma tremenda sacanagem. Porém, o que parecia ser terrível – assim como aquele ditado popular diz – ainda ficou pior. Depois de assistirem o que ocorreu com o Megaupload, muitos servidores de compartilhamento começaram a fechar, apagar conteúdos e restringir o processo de uploads. Parecia o fim de uma era, o fim dos downloads, simplesmente o fim do uso da internet como conhecemos.

397842_227641640653099_186332541450676_501873_1411254903_n Foto que rolou no Facebook na semana passada.

No início da semana passada muitos usuários já estavam se descabelando com a situação, era cada vez maior a lista de servidores sem funcionamento. Sites que mantinham conteúdos há tempos perderam todos os links e não conseguiam ver a luz no fim do túnel, anunciando para seus seguidores que o fim dos sites estava próximo. Eram listas atualizadas de servidores sem funcionar e o pavor dos usuários aumentando. Como disse uma certa garota uma vez, uma puta falta de sacanagem.

Vou usar o meu exemplo neste post. Sou viciada em série – o que não é nenhuma novidade – e para ficar em dia com as produções que acompanho, eu preciso baixar os episódios, já que não tenho TV paga e que os DVDs além de caros, demoram para ser lançados por aqui. Isso quando os próprios episódios na TV paga não demoram para ser transmitidos no Brasil. Acompanho muitas séries, algumas delas realmente incríveis, que até conto nos dedos o dia para ter o episódio novo.

mineiro_na_web_series_de_tv[4] Foto daqui.

Com relação aos filmes é praticamente a mesma coisa, demora para o DVD ser lançado aqui e com o preço lá em cima. Como você não sabe se realmente o filme é bom e vale a pena pagar aquele preço alto, é sempre bom poder conferir antes, ou seja, baixá-lo na internet. Posso dizer o mesmo até com músicas, você escuta o CD e analisa se vale a pena pagar o valor – que eu acho alto – que eles pedem na compra do produto.

Os únicos livros que baixei foram Eclipse e Amanhecer da Saga Crépúsculo, que ainda não tinham sido publicados no Brasil e que eu precisava ler. E o fato é que assim que foram lançados eu fiz questão de comprar os meus.

A discussão aqui tem dois tópicos. O primeiro é, eu – leia-se nós se você se encaixa no que vou escrever - baixo séries para consumo próprio, não para vender. Sem falar que, além de criar um vínculo com elas, eu divulgo, faço propaganda sempre que posso e geralmente aumento o número de espectadores delas. Já comprei muitos boxes de séries e pretendo comprar mais, porque gosto de ter em casa, adoro a sensação de poder rever quando eu bem entender. Ou seja, eles não perdem absolutamente nada com o download de séries, por exemplo. Assim como de filmes, músicas, livros, etc.

O segundo tópico é: se eles querem tanto acabar com a pirataria como dizem, porque não diminuir os impostos e consequentemente o preço dos produtos para o consumidor final? Um produto de qualidade e com preço acessível com certeza venderia muito mais, por que eu compraria um produto falsificado se o original está com um preço justo e que eu posso pagar?

TV-Series1 Foto daqui.

SOPA E PIPA

Devido a grande mobilização das empresas de web e protestos do mundo inteiro, a votação que estava em andamento neste mês para as propostas de lei SOPA e PIPA foram arquivadas indefinidamente. As mudanças poderiam censurar provedores e usuários americanos da internet e assim, atingir grande parte da população mundial que utiliza a internet.

 

A SOPA (Stop Online Piracy Act) tinha como proposta, regras mais rígidas para acabar com a pirataria digital, e a PIPA (Protect Intellectual Property Act) previa a proteção da propriedade intelectual. A mobilização atingiu o mundo todo. Diversos sites ficaram fora do ar em protesto e até mesmo, soltaram um abaixo-assinado contra a ação.

 

Gerando resultado satisfatório para aqueles que julgavam o ato como uma censura aos sites e à liberdade de expressão, o líder do senado Harry Reid decidiu postergar o voto da PIPA e após quatro horas, o representante Lamar Smith, um dos idealizadores da SOPA, declarou que vai pedir o mesmo para a SOPA completando que é necessário “ter um acordo mais amplo sobre a solução”. Fonte.

Todo o bafafá começou com esses projetos, mas se afirma que o fechamento do Megaupload não teve na a ver com SOPA ou PIPA, de acordo com as notícias divulgadas, o FBI, fechou o site de compartilhamento de arquivos por violar as leis antipirataria do dos Estados Unidos. No entanto, a atitude gerou bastante desconfiança internet afora.

 

O FBI entrou com tudo dizendo que esta agindo contra a pirataria, mas a verdade deve ser que estão escondendo algo importante que deve ter vazado, mas enfim, os mais afetados nisso tudo somos nos.

Um dos protestos divulgados no Kicompleto.

Desafio às gravadoras?

O Globo divulgou na terça-feira passada uma outra razão para o fechamento do Megaupload:

Até a operação policial que encarcerou seus responsáveis, o Megaupload se preparava para lançar um site de compartilhamento de músicas que desafiaria as gravadoras por remunerar artistas em contratos exclusivos.

 

A revelação dos planos de Kim Dotcom e sua equipe suscitou na imprensa especializada a suspeita de que a operação que derrubou o site de compartilhamento não teve apenas a ver com pirataria, mas também, com o temor da indústria fonográfica sobre a chegada de nova concorrência.

 

- O grupo Universal sabe que nós vamos competir diretamente com eles por meio de nossa empreitada musical chamada Megabox.com, um site que vai permitir aos artistas vender suas criações diretamente aos consumidores e ficar com 90% das receitas - disse o criador do Megaupload, Dotcom, em dezembro do ano passado. - Nós temos uma solução chamada Moviekey que vai pagar os artistas até pelo download gratuito de música. O modelo de negócios do Megakey já foi testado com milhões de usuários e funciona.

 

Segundo Dotcom, o site seria lançado este ano, tinha entre seus sócios a gigante Amazon (informação até agora não confirmada) e seria o grande concorrente da iTunes Store, da Apple.

 

A preparação para o Moviebox explica a existência de um vídeo, publicado no Youtube em dezembro, que continha depoimentos elogiosos de vários artistas sobre o Megaupload. Entre eles estavam os pop stars Kanye West, Alicia Keys, Will.I.Am e Snoop Dog.

 

A Universal não gostou da iniciativa e conseguiu retirar o vídeo do Youtube por meio dos filtros de conteúdo do site. Mas a Google o colocou novamente no ar argumentando que a Universal não tinha direitos autorais sobre ele. Segundo o site da revista “Wired”, o Megaupload investiu US$ 3 milhões na produção do vídeo.

 

Não há prova sobre o envolvimento da Universal na operação do FBI que levou à prisão de Dotcom e seus sócios na Nova Zelândia e na Europa. O Moviebox, que já funcionava em versão beta, também está fora do ar por causa do mandado da Justiça americana que determinou o fechamento do Megaupload e seus sites associados por pirataria e outros crimes.

Confira a matéria aqui.

O alívio

Com o anúncio de possível fechamento de vários sites que disponibilizavam links para downloads, os usuário ficaram atentos, procurando em todo o espaço virtual por uma luz no fim do túnel, alguém que não desistisse, que mantivesse o trabalho – que não é nada fácil. Parabéns para todos! – e pelo que eu pude perceber essa luz estava no The Music Dude, um dos únicos sites que não jogaram a toalha.

Assim como ele, o Séries TVix e o Baixar TV, que num primeiro momento chegaram a cogitar fechar as portas, encontraram servidores que se mantiveram ativos e começaram o trabalho de recuperar os links perdidos e atualizar com os episódios novos que não pararam de chegar. Sempre recebendo o apoio dos usuários. Quem também merece parabéns são as equipes que legendam os episódios, que fique registrado.

Enfim, não citei todos os sites que fazem esse trabalho, citei apenas os que eu uso, sei que devem ter mais e foquei esse fim de post mais nas séries que seria onde eu mais me afetaria. Com a força dos internautas e o longo alcance de seus protestos, creio que não ficaremos sem os downloads. Mas para que tudo isso não se repita, uma solução que seja positiva não só para os bolsos de quem produz e vende deve ser tomada.

download-button E que venham mais episódios, pois estou doida de vontade de assistir mais e continuar clicando muito em botões como o mostrado acima. Esse post foi sugestão da Laura, obrigada!

Episódios assistidos

Beijos e ótima semana!

Comente com o Facebook: