Gigantes de Aço

Gigantes de Aço - capasbr 02 Na última vez que eu e o maridão alugamos filmes, eles foram “de menino”, um deles foi Gigantes de Aço, muito bem recomendado pela dona da locadora. Mesmo com um drama clichê na história - o de um pai que abandona o filho e depois passa a conviver com ele, percebendo que o menino é mega importante em sua vida –, o filme em um todo é genial, muito original.

Charlie, vivido por Hugh lindo Jackman, é um ex-boxeador falido, daqueles que deve para todo mundo. Seu trabalho atual é se apresentar com robôs, ou melhor, lutar. É que em um futuro não muito distante, tempo em que se passa o filme, as lutas de boxe como conhecemos não existem mais, elas são realizadas por robôs gigantes – tcharam para o título –, mega inteligentes e capazes de um espetáculo que deixa boquiabertos os espectadores do esporte – praticamente todo o país. Existem as super mega ultra máquinas, que disputam um campeonato cheio de glamour e luxo, e as máquinas obsoletas, geralmente as perdedoras. E é com o segundo tipo que Charlie trabalha. gigantes_de_aco_2011_f_003 Com a ajuda de Bailey – interpretada por Evangeline Lilly, a Kate de Lost – com quem vive de favor, ele conserta os robôs ultrapassados, que são vendidos por um valor bem mais barato e garante seu dinheiro – quase sempre – os colocando para lutar em eventos pequenos. Em um desses eventos ele é abordado por dois caras bem vestidos e tenta fugir, só podem ser cobradores, né? Mas não, eles são da justiça. Sua antiga namorada,  com quem teve um filho, faleceu e agora ele precisa comparecer ao tribunal para decidir sobre a guarda da criança.

Charlie nunca teve contato com o filho, é completamente desleixado com isso. Max tem 11 anos e leva uma vida muito boa com a tia, que obviamente quer a guarda dele. Charlie vê que o marido de sua ex-cunhada é cheio da grana e diz a ele que por uma quantia bem gordinha de verdinhas ele passa a guarda para o casal. Atitude desprezível. Mas o cara topa. O problema é que eles estão de viagem marcada para a Europa com um casal de amigos e o menino não ficaria bem com eles, então Charlie dá a solução: diz que fica com o menino durante o verão. filme-gigantes-de-aco-critica-32 Assim, Max vai para a casa do pai – que, na verdade, nem é dele. O que Charlie não esperava era que seu filho fosse uma criança super inteligente, esperta e capaz de conquistá-lo. Max é fera nos videogames, fala outras línguas e é destemido como o pai, para não dizer teimoso. Um dia em um depósito em que ficam as peças velhas de robôs, Max encontra um gigante inteiro, precisando de reparos e decide levá-lo para casa. A princípio Charlie é contra, mas depois vê que o robô pode ter potencial. Assim, a vida dos dois começa a mudar. Até que Max, Charlie e o robô, Atom, têm a chance de enfrentar no ringue o melhor robô do mundo, o campeão dos campeões. gigantes_de_aco O roteiro do filme é muito bom. O enredo te envolve, não há como, em hipótese nenhuma, você não se apegar a Max e seu robô, ou ainda, não tocer loucamente por eles nas lutas. É empolgante!! E é muito legal ver a amizade de pai e filho crescendo, observar as semelhanças entre eles, como erram da mesma forma e são cabeças duras ou ainda como são espertos e capazes. REAL STEEL A produção dirigida por Shawn Levy tem um pouco de tudo, drama, comédia, ação, aventura e o resultado dessa mistura é um filme que merece cinco estrelinhas. Claro que quem não gosta do gênero pode não gostar e claro que ele foi assim para mim, mas eu recomendo muito, principalmente para quem tiver preconceito com o gênero, que o deixe de lado e curta. A atuação de Dakota Goyo, que vive o Max, é incrível para um garotinho de sua idade. Para os fãs de Lost também há a chance de matar as saudades de Kate.

Enfim, não quero me alongar mais do que já me alonguei. Assistam!!

Curiosidades

  • Gigantes de Aço teve orçamento de US$ 110 milhões e uma receita de US$ 295,468,508;
  • Começou a ser rodado em junho de 2010 e em setembro do mesmo ano as filmagens estavam concluídas;
  • O filme foi inteiramente rodado no estado de Michigan, nos Estados Unidos;
  • A produção é do mesmo diretor de Uma Noite Fora de Série e Uma Noite no Museu 2;
  • O filme é baseado em partes do curta-metragem, "Steel" história de 1956 de Richard Matheson. Gigantes de Aço estava em desenvolvimento há vários anos antes da produção começar.
  • No DVD há nos extras uma explicação de como os robôs foram feitos, é sensacional!! Não esqueça de conferir se alugar.

Max e Atom fazem uma dancinha antes de se apresentar, uns fofos. Pulem para 1:17 no vídeo e confiram:

Beijocas e boa véspera de feriado.

Comente com o Facebook: