Cartas para Julieta

Cartas Para Julieta Quando nos mudamos para nossa casa, acho que há uns dois anos, depois de um dia inteiro de trabalho e muito cansaço, eu e o maridão colocamos um filminho para assistir e relaxar, já adivinharam que foi o que intitula esse post, né? Pois é, só que naquele dia o cansaço nos venceu e nunca mais terminamos de ver. Então, há duas semanas, enquanto estava em casa de bobeira e procurando filmes bons, o encontrei. E adorei!!

Primeiro, o filme me deixou com uma vontade ainda maior de ir correndo visitar a Itália e passar por Verona se tornou obrigatório. Segundo, o pano de fundo da história é tão romântico, tão lindo, que é praticamente impossível não suspirar em algum momento do filme.

DF-00348.JPG Sophie, personagem da lindinha Amanda Seyfried, sonha em escrever, mas até agora não passa de uma “colhedora” de informações. Antes de seu noivo abrir um restaurante, eles aproveitam e fazem uma prévia da lua de mel em Verona. O cara, vivido por Gael García Bernal, é o pior noivo do mundo. Sério. Eles viajam para um dos lugares mais românticos do planeta e tudo o que ele quer fazer é experimentar comidas, ir a leilões de vinhos, pricurar fornecedores e nem se sente mal em deixá-la sozinha por dias quando aquilo era para ser uma espécie de lua de mel!! Não me conformei com isso. Sophie não quis demonstrar que também ficou bem magoada com todo o descaso de Victor desde que chegaram, então tratou de aproveitar Verona de seu jeito.

Letters-to-Juliet-directe-006 Em uma visita ao muro de Julieta, um local extremamente visitado, ela percebeu uma mulher retirando as cartas que as pessoas colocam no local e a seguiu. Pausa para eu contar para vocês que em uma cena tem um turista batendo foto apalpando os peitos da estátua de Julieta. Pobre coitada. Voltando, ao chegar no local que a mulher levou as cartas, Sophie descobre as assistentes de Julieta. Elas respondem a todas aquelas cartas e isso é, no mínimo, empolgante. Logo, Sophie também quer fazer parte do grupo – isso enquanto seu noivo aprende umas receitas novas, sem noção – e logo no primeiro dia ela encontra uma carta antiga, datada de 1957, escondida atrás de um tijolo.

A carta foi escrita por Claire Smith e contava sobre um amor proibido, vivido ali mesmo na Itália. Mas que não terminou com um final feliz pois ela precisou voltar para sua cidade natal e deixar seu verdadeiro amor para trás, Lorenzo. Sophie pede para responder a carta e escreve um texto inspirado, tão inspirado que leva Claire de volta para a Itália, em uma aventura na busca de seu amor perdido. Aliás, ela e seu neto, Charlie, que não ficou nada contente com a decisão da avó viúva. Só que vocês não imaginam quantos Lorenzos Bartolini existem por ali. Na busca pelo cara certo, Sophie oferece sua ajuda e pede permissão para escrever sobre a história, passando a conhecer melhor a adorável Claire e seu neto emburrado.

letters_to_juliet071-700x466 O filme é lindo!!! A começar pelo local, não haveria lugares mais bonitos e acolhedores dos que os mostrados na produção, que foi dirigida por Gary Winick. E acompanhar uma senhora na busca por sua verdadeira paixão é incrível, também é triste e dói o coração cada vez que ela encontra um Lorenzo que não é o dela. Cheguei até a concordar um pouco com a bronca que Charlie inicialmente deu em Sophie, afinal, Claire era uma senhora de idade e decepções não fazem bem para ninguém, na idade que for. A cada negativa ela ia ficando cada vez mais triste. Uma dó.

Charlie é incrível, não lembro de ter visto o ator Christopher Egan em outros filmes, gostei muito do trabalho dele em interpretar um jovem rico e cheio de sarcasmo. Impossível não gostar dele e não torcer para que Sophie goste dele também, ainda mais com aquele noivo lá. Todo o conjunto forma uma obra de romance muito boa, com alguns clichês, é claro, mas extremamente gostosa de conferir.  Recomendo.

letters_to_juliet091-e1273668437653-700x387

Curiosidades

  • Inicialmente seria Hugh Dancy o intérprete de Victor.
  • Vanessa Redgrave (Claire) e Franco Nero (Lorenzo) são casados na vida real. Que fofo!!
  • Este foi o último filme dirigido por Gary Winick, que faleceu em 27 de fevereiro de 2011, aos 49 anos. Ele tinha câncer no cérebro. Triste.
  • Esta é a segunda vez que Amanda Seyfried representa uma personagem chamada Sophie. Este também era o nome do seu papel em Mamma Mia! - O Filme (2008).

Beijos e que todos tenhamos uma quarta-feira sensacional – e romântica.

Comente com o Facebook: