Por um momento apenas

marcus

Or irmãos Sullivan chegaram para ficar. Apesar de suas histórias não serem, digamos, nada inovadoras e completamente cheias de clichês, a leitura é super gostosa, leve e hot. Bella Andre trabalha seus personagens com muita sensualidade e com um fogo que não acaba mais. Devo confessar que fico meio chocada com a quantidade de “calor” que os casais mantêm no corpo. O segundo livro da série conta a história de Marcus Sullivan, o irmão mais velho da família. Ele é dono de uma vinícola linda, aquela em que Chloe e Chase tiveram o desenrolar de sua história.

Marcus é até agora meu irmão favorito – digo isso porque já li quatro livros da série e não lembrava que não tinha resenhado ainda, shame on me –, ele é um paizão para a galera. Super responsável, cheio de sucesso, respeitado pelas pessoas que o cercam e muito amado pela família. O problema é que a pessoa que ele escolhera para estar ao lado dele nos momentos felizes e tristes era uma bela de uma bitch. Não o apoiava, era uma porre e ainda por cima meteu o maior chifrão nele. Ele pegou no flagra e percebeu que o que eles tinham não era assim tão bom, tão certo.

Óbvio que ele ficou na fossa, foram anos de relacionamento e mesmo que sua família não gostasse tanto da moça, ele gostava. Foi pensando em como foi passado para trás, sendo sempre correto, que Marcus decidiu curtir a vida. Ia pegar mulheres sem compromisso, casos de uma noite só e colocar em dia o tempo perdido com aquela outra lá. O que não ajudou muito foi ter que participar da festa de noivado de Chloe e Chase, vendo o amor e toda a felicidade do casal. Sim, ele estava mais do que feliz pelo irmão, mas aquilo só lembrava o que ele não teve.

O cara então sai da festa e vai para uma balada, um ambiente em que ele não está acostumado. Mas chegou a hora de arrebentar a boca do balão. Na boate, a entrada de uma mulher chama imediatamente sua atenção. Seus olhos se cruzam e, como ela fora buscar o mesmo que Marcus, os dois se aproximam. Após uma breve conversa, os dois logo vão para o táxi, em busca de um lugar mais aconchegante.

Ela é Nicole Harding, uma pop star mundialmente conhecida e com uma fama completamente falsa de ser uma pegadora. Nicole tem 25 anos, é considerada símbolo sexual e arrasta multidões por onde passa. Essa era a imagem que todos tinham dela e não poderia ser mais errada, era apenas a carcaça. Ninguém sabia como ela era por dentro. A cantora também passará por um baque em seu relacionamento, fora traída, magoada e decidira nunca mais deixar alguém fazer isso com ela.

Vemos aqui aquela mesma história de Chase e Chloe, pessoas machucadas que não querem encontrar o amor tão cedo, querem só aproveitar a vida e fazer sexo sem compromisso. Até que obviamente se envolvem mais e mais e o sentimento, a paixão, é inevitável. Marcus é um homem de verdade, poderia acrescentar muitos elogios aos que citei no início do texto e mesmo querendo só uma noite quente, ele respeita Nicole ao máximo. Naquela noite que saíram da boate, não fizeram nada. Ele só cuidou dela no apartamento de Smith na cidade, o irmão era estrela de cinema e podia ter o luxo de possuir casas/apartamentos em diversos lugares, até porque nunca ficava parado.

A atitude de Marcus deixa Nicole surpresa e ainda mais atraída. A partir daí, os dois ficam nessa de gato e rato, tentando não se deixar levar pelo coração, apenas pelo desejo. Mas uma hora as duas coisas se cruzam e é difícil resistir. Ambos os personagens derrubam barreiras e fazem descobertas um sobre o outro.

A história de Marcus é muito boa, uma das melhores. Mas também tem seus deslizes. Por exemplo, nesse segundo livro as palavras e expressões “baixas” são bem mais usadas, como pau e comer, entre outras. Sem falar que algumas frases foram repitidas mais que o necessário, como “olhos escuros” e “sentada no colo, onde era o lugar dela”. Sobre o fogo que não acaba nunca eu já comentei. E encontrei também alguns errinhos de revisão.

O livro ganhou de mim três estrelas. Li super rápido, me envolvi com a história e concluí que é um livro bom. Gosto de ler para viajar com as histórias e para me divertir, não busco apenas conhecimento, melhorar vocabulário e etc. Para mim, ler é pura diversão e consegui isso aqui, além de aprender umas safadezas com o casal protagonista. Falando nisso, no fim do livro uma atitude de Marcus me surpreendeu, um toque à la Christian Grey. O que ele fez não combina com a personalidade dele, isso na minha opinião, claro. E fiquei pensando se a autora acrescentou a deixa depois do sucesso dos 50 tons.

Chega de escrever, né? A conclusão é: se você quiser entretenimento, uma história que você desvenda o fim desde o começo, mas que não sabe qual o caminho que os personagens trilharão até lá, pode se divertir muito com o livro. Eu gostei.

Pronto, parei. Beijos e uma excelente quinta-feira. Só mais uma coisinha, o blog, junto com o Colecionadores de Histórias, está sorteando os livros três e quatro da série Bella Andre, Não posso me apaixonar e Só tenho olhos para você. Participem!!

Comente com o Facebook: