Três para acertar

Tres-para-Acertar

Stephanie Plum é uma de minhas personagens favoritas no mundo literário. Ela começou a trabalhar como caçadora de recompensas para pagar as contas que não paravam – e ainda não param - de chegar, mas nem por isso reclama aos quatro ventos. Ela é destemida, enxerida e não dá muita bola para o que as pessoas falam, não. Isso que ela cresceu no Burgo, um dos lugares de Trenton em que mais se fala da vida alheia. Stephanie também tem uma arma, o que sempre fascina a vovó Mazur, e quase nunca atira nas pessoas, apesar de ser conhecida por ter matado um homem – mas ele era um bandido e estava tentando matá-la. Para finalizar, amo Stephanie porque ela não é neurótica com peso, mas isso é compensado pela boa genética dela. Porque ela come, come muito e se eu li ela comendo algo saudável foi apenas nos jantares na casa de seus pais, que sempre terminam com uma sobremesa mega calórica. Seu pedido preferido é pizza com cerveja. Admiro você, Steph.

No terceiro livro protagonizado por Stephanie, ela começa logo com uma bomba nas mãos: tem que capturar Tio Mo, um dos caras mais respeitados do Burgo, dono de uma sorveteria e um homem que jamais faria nada de errado de acordo com o bairro inteiro. Ele era tão bom, mas tão bom, que isso era, no mínimo suspeito. Para este caso, Steph conta com a ajuda de Lula, uma ex-prostituta da Rua Stark, que agora trabalhava arquivando papelada no escritório de Vinnie, o primo para quem Stephanie também trabalhava. Mas Lula almeja algo maior, ela também quer ser caçadora de recompensas, no entanto, ela só vê graça na coisa se puder jogar um dos DDC (deixou de comparecer) no porta-malas ou então atirar em alguém. Ela é uma figura.

- Eu estou em ótima forma – disse Lula. – É a altitude que me faz mal. Se não fosse por isso não estaria sem fôlego. Página 91, após subirem três andares de escadas.

O problema para a caçadora de recompensas mais querida do Burgo – ou seja, maior vítima de fofocas – é que em sua busca clandestina na loja do tio Mo, ela foi golpeada por um outro intruso e quando voltou a si tudo que viu foi um corpo baleado ao seu lado. O que envolveu imediatamente Joe Morelli, o cara que tirou sua virgindade, a recomendou na porta de um banheiro masculino e que agora era policial. Ah, ele também é o cara a quem ela ajudou a não ser preso no primeiro livro. Joe é um pedaço de mal caminho e vive mexendo com Stephanie, mas é óbvio que ela não dará o braço a torcer.

Pensei em Mel Gibson e Joe Morelli e tentei decidir qual deles tinha o melhor bumbum. Então pensei em Mike Richter, o goleiro do Rangers, porque ele também não era de se jogar fora. Página 39

Claramente que o problema não ficou apenas nesse corpo, outros começaram a aparecer e Stephanie sempre estava junto quando eles eram descobertos, ela meio que passou a ser suspeita, mas Morelli sabia que ela era inocente. O problema eram as outras pessoas. Agora ela tinha que encontrar Mo, que também era um forte suspeito – ainda mais porque tinha sumido do mapa – e resolver de uma vez por todas as mortes. Nesse meio tempo, ela estranha a mudança de Morelli com ela e como ele se mudou para uma casa, logo ele que era o cara perfeito para viver em um apê, ela começa a desconfiar de que ele tenha alguém e é certo que essa desconfiança e a busca por respostas garanta boas risadas ao leitor. 

O romance, mais uma vez, deu as caras de forma bem sutil. O foco aqui não é o relacionamento amoroso da protagonista, mas sua profissão diferente e cheia de preconceitos, além das aventuras em que se mete tentando ganhar algum dinheiro. Como comentei, Stephanie gosta de Morelli, mas não admite pelo passado dos dois (antes do episódio sexual, quando ainda crianças, ele a enganou para ver sua calcinha). Obviamente, somando tudo, quando ela começou a dirigir, o atropelou e ele quebrou a perna, desde então eles vivem assim, como cão e gato. Mas o cara parece ter mudado, amadurecido.

A verdade é que eu não estava totalmente infeliz em ver Morelli. Ele irradiava um calor físico que parecia me faltar hoje, e, como policial, tinha recursos úteis para uma caçadora de recompensas. Também poderiam existir outros motivos relacionados com ego e luxúria, mas eu não estava disposta admití-los. Página 60 

Stephanie também conta com a ajuda do caçador de recompensas número 1 de Vinnie, Ranger, que é um homem misterioso, mas de ótima aparência – leia-se, completamente piriguetável. Lula acredita que ele seja um super-herói e eu morro de rir com ela. Enfim, um pouco de Stephanie era tudo o que eu precisava. Eu abria um sorriso – ou gargalhava – em quase todas as páginas, porque a trama pode ter tensão, crimes, mistérios, mas a comédia supera. É incrível e sensacional.

Vovó Mazur, como sempre, é uma das melhores personagens. Não bastasse suas frases saidinhas e seu desejo por adrenalina, agora ela queria arrumar um gostosão! Neste livro ela e Lula ficaram ali na briga de mais engraçada de todas.

- Podíamos telefonar para ele  - disse vovó. – Temos uma batata extra na panela. E é sempre bom ter um gostosão à mesa. […]

- Estou velha, mas não estou morta. […] E acho que saberia o que fazer com um gostosão. Talvez eu precise sair e encontrar um sozinha. Páginas 170 e 171

 

Algumas considerações:

  • Trenton é uma cidade perigosa, pelo jeito. Nunca vi tanta gente ter arma como lá;
  • Stephanie não tem mesmo sorte com carros. Ou então é seu destino ficar com o Azulão, o Buick da família. Coitada!
  • Aparentemente, sua falta de sorte também se estende para a mudança de visual. Só digo uma coisa: cabelos cor de laranja!
  • O momento de maior tensão para mim foi quando a vida de Rex esteve em perigo. Rex é o hamster de Steph;
  • A história foi escrita por Janet Evanovich em 1997 e foi publicada nos EUA em 1998. No Brasil o livro foi lançado apenas em 2011. Então é bem estranho ver o povo com pager, sem usar internet para pesquisar e tudo o mais.

Eu estava me segurando no painel e comecei a rezar em voz baixa: Santa Maria, mãe de Deus… por favor não me deixe morrer na Route 1 com este cabelo. Página 202

Sem dúvidas, eu recomendo!! Ah, vale contar que foi por este livro e o seguinte da série da Stephanie que eu saí do meu jejum de compras. Eles estão sempre com preço salgadinho e quando os vi por R$ 9,90 não tinha como deixar passar.

Beijocas e uma ótima terça-feira!!

Comente com o Facebook: