Minha primeira vez... em um show internacional #Maroon5

Aconteceu e eu ainda nem acredito. Eu vi o Adam Levine!!!!!! Não foi bem de pertinho, mas só de estar no mesmo ambiente que ele eu já estou bem satisfeita. Sem falar em poder acompanhar um show do Maroon 5, banda que eu amo há anos!! Foi tão perfeito. Fico arrepiada só de lembrar.
Em agosto de 2015 a banda confirmou os rumores de shows no Brasil e eu já tinha conversado com o maridão para que se eles viessem mesmo, nós fossemos conferir. Afinal, nunca tínhamos ido em um show assim e era o MAROON 5! (milhões de exclamações). Tudo acertado, ficou no ar a ansiedade e emoção de comprar os ingressos. Claro que não foi fácil. Minha internet ficou fora, a da casa dos sogros também e fui dormir chorando porque era quase certo que não conseguiria mais meus ingressos para o show. No outro dia cedinho consegui entrar no site e por um milagre divino consegui comprar ingressos do primeiro lote, que já estavam esgotados. Garanti meu lugar!


Parecia tão longe, demoraria tanto tempo e pronto, foi essa semana. Estava fora de órbita, comecei a sentir frio na barriga só na terça de noite. No outro dia eu veria o Adam. Ai meu coração. Sou fã desde This Love e outros hits de Songs about Jane. Nem acreditava que meu sonho ia se realizar (eu realmente sonhei com o show). Horas de estrada depois, chegamos em Porto Alegre. Tempo feio, previsão de chuva.
Cometemos o pequeno erro de entrar super cedo, quando os portões abriram. Claro que pegamos um lugar bom na pista, mas sempre sofremos com aquelas pessoas sem noção ou respeito algum. Duas mulheres chegaram umas três horas depois que estávamos no lugar e começaram a empurrar e criar confusão. Resultado: deixei meu lugar e fui para trás. Muito melhor aproveitar o show de forma confortável do que me incomodar com gente que não merece meu esforço nem a fadiga. Fiquei mais longe do Adam, mas não estava tão perto assim. O objetivo ali era curtir o show da minha banda favorita ao vivo. E ele foi cumprido com louvor.
Assim que colocamos os pés no estacionamento da FIERGS, a chuva começou a dar sinal. E quando começou a cair não parou mais. Usamos capas de chuvas o tempo todo e quando o show começou até rasgadas elas já estavam. Foi chuva direto. Durante a espera, durante os shows de abertura com as bandas Dingo Bells e Dashboard Confessional e também durante toda a apresentação do Maroon 5.
Quando aquelas luzes do palco acenderam, por volta de 21h35, tudo foi esquecido. A imensa dor nos pés e pernas, a fome, o cansaço, a chuva. Nada mais importava porque o show começou e foi intenso, incrível, emocionante. Fiquei rindo sozinha muitas vezes. Mais uma primeira vez excelente, mais uma experiência incrível e inesquecível. Curti muito, muito, muito mesmo. Cantei, gritei, não cheguei a chorar, mas fiquei emocionada para caramba.

Créditos: Ton Müller / Divulgação: T4F

No fim, acredito que a chuva até ajudou. Não fosse ela os celulares estariam todos levantados o tempo inteiro, eu inclusive ficaria fazendo milhares de fotos e vídeos e acabaria nem curtindo o show o tanto que curti. Claro que eu fiz fotos e vídeos, mas só os necessários. Fiz áudios para mandar para as amigas no Whatsapp (mas nem a internet quis colaborar aquele dia). Apesar de que nos áudios e vídeos aparece mais eu cantando que o Adam, vergonha alheia. Sorte que os amiguinhos que foram no ônibus com a gente também fizeram.
Adam superou as expectativas. Ele é incrível e demonstrou isso no palco, falando “Obrigado” e dizendo que era só isso que ele podia falar na nossa língua difícil e tão bonita para ele estragar com ela. Elogiou o público, os brasileiros, foi sensacional (e eu aqui arrepiada). Uma cena engraçada foi quando a banda se reuniu para cantar Payphone, o comecinho dela, e um inseto bem grande parou no rosto do Adam. Ele teve que comentar e aumentar um pouquinho o tamanho do bicho, dizendo que era enorme!!!! Ah, e ele tirou a camisa (gritos histéricos).





She will be loved foi linda, assim como Lost Stars. Sugar e Moves like Jagger foram elétricas. Sempre penso que deve ser muito satisfatório para um artista que dá valor ao que faz ver tanta gente cantando sua música. Foram cerca de 30 mil pessoas assistir ao show em Porto Alegre e apesar de tudo, todas estavam empolgadíssimas com a banda. Pais que levaram filhas, amigas, mães, casais. Todo mundo aproveitou. Saí toda molhada, cansada, sem força nas pernas, mas feliz. Realizada.

Que venham mais primeiras vezes assim.  

*Não consegui colocar os vídeos aqui. 

Comente com o Facebook: